Pelo menos 26 presos fogem do presídio Irmão Guido

A fuga no presídio de Teresina aconteceu durante banho de sol e contou com um suporte externo, porque o muro foi quebrado pelo lado de fora, de acordo com o Sindicato dos Agentes penitenciários (Sinpoljuspi); a Secretaria estadual de Justiça (Sejus) abriu inquérito para investigar a fuga e deve afastar temporariamente os agentes penitenciários que estavam de plantão

A fuga no presídio de Teresina aconteceu durante banho de sol e contou com um suporte externo, porque o muro foi quebrado pelo lado de fora, de acordo com o Sindicato dos Agentes penitenciários (Sinpoljuspi); a Secretaria estadual de Justiça (Sejus) abriu inquérito para investigar a fuga e deve afastar temporariamente os agentes penitenciários que estavam de plantão
A fuga no presídio de Teresina aconteceu durante banho de sol e contou com um suporte externo, porque o muro foi quebrado pelo lado de fora, de acordo com o Sindicato dos Agentes penitenciários (Sinpoljuspi); a Secretaria estadual de Justiça (Sejus) abriu inquérito para investigar a fuga e deve afastar temporariamente os agentes penitenciários que estavam de plantão (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Piauí 247 - Por volta das 9h deste sábado (25), pelo menso 26 presidiários fugiram da Penitenciária Irmão Guido, em Teresina. A fuga aconteceu durante banho de sol e contou com um suporte externo, porque o muro foi quebrado pelo lado de fora, de acordo com o Sindicato dos Agentes penitenciários (Sinpoljuspi).

A Secretaria estadual de Justiça (Sejus) abriu inquérito para investigar a fuga e deve afastar temporariamente os agentes penitenciários que estavam de plantão. A pasta informou que pelo menos três detentos foram recapturados, segundo o G1.

O presidente Sinpoljuspi, Vilobaldo Carvalho, disse que a secretaria tinha informações sobre a fragilidade do presídio. De acordo com o sindicalista, em 2015, a entidade entrou um relatório à pasta constando informações de que presos diziam que "em 40 minutos conseguiriam empreender uma fuga pela parede do presídio ser frágil". "Inclusive pedimos a instalação de um piso mais forte, com concreto", disse Carvalho.

O diretor criticou a iniciativa da Sejus de punir os agentes penitenciários. "Quando acontece tudo isso depois da superlotação e da falta de agentes a secretaria quer punir os agentes", complementou.

Em nota, a gerência do presídio informou que as forças de segurança pública estão em operação de busca dos foragidos. 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247