Perillo caminha para mais uma vitória, analisa Jalles

Prefeito de Goianésia diz que o governador tucano superou crise da Operação Monte Carlo, entrou numa fase "promissora" em sua gestão e constitui-se no candidato natural à reeleição; Jalles elenca qualidades como popularidade, capilaridade eleitoral e prestígio junto à população, além da coesão da base aliada diante de uma oposição dividida; para ele, faltam humildade ao PMDB e consistências político-partidárias e estruturas de campanha a Vanderlan e a Gomide

Governador / Prêmio Aluno em Goianésia. Na foto governador Marconi Perillo, Jalles Fontoura.Fotos Rodrigo Cabral
Governador / Prêmio Aluno em Goianésia. Na foto governador Marconi Perillo, Jalles Fontoura.Fotos Rodrigo Cabral (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

HELTON LENINE, DO DIÁRIO DA MANHÃ

O prefeito de Goianésia, Jalles Fontoura (PSDB), afirmou na quarta-feira (26) que Marconi Perillo agora tem governo para mostrar, depois das crises financeira e política vividas nos dois primeiros anos de seu mandato. “Superadas as dificuldades financeiras e as crises políticas vividas durante os episódios Cachoeira/Demóstenes, o governo Marconi ganha ritmo, resgata compromissos, inaugura as obras prometidas à população goiana.”

Na sua opinião, o governo Marconi entra nos trilhos. “Entendo que Marconi realiza um bom governo, pois realiza obras importantes de infraestrutura, com a recuperação e pavimentação de rodovias, reforma escolas, constrói hospitais, reaparelha a segurança pública, dá novo salto no crescimento econômico, com geração de empregos e renda, traz novos programas sociais. Marconi agora tem governo para mostrar.”

Em entrevista ao programa Falando Francamente, da rádio Mil FM, Jalles Fontoura disse que o governador tucano vive uma “fase de amadurecimento político”, depois de “superar dificuldades administrativas.” O filho do ex-governador Otávio Lage lembrou que, ao acompanhar Marconi durante visitas a municípios da região do Vale do São Patrício, percebeu o “espírito renovado” do governador.

Jalles Fontoura sustentou que, em seus três governos, Marconi Perillo inseriu o Estado de Goiás em uma nova “era de desenvolvimento e de crescimento”, além de implementar programas de inclusão social expressivos, como Bolsa Futuro, Bolsa Universitária, Cheque Moradia, Renda Cidadã. “Goiás experimenta, efetivamente, uma fase de progresso e de melhoria da qualidade de vida da população.”

REELEIÇÃO

Com larga vivência política – já foi deputado estadual e federal, secretário estadual da Fazenda e exerce mandato de prefeito pela segunda vez –, Jalles Fontoura não tem dúvidas: o governador Marconi Perillo será candidato à reeleição em 5 de outubro. “A base aliada não tem plano B, apenas o plano M, de Marconi.”

Na conversa com os jornalistas Ivan Mendonça e Jerônimo Rodrigues, Jalles Fontoura nega que seu irmão, Otávio Lage Filho, empresário e ex-prefeito de Goianésia, possa ser alternativa à sucessão estadual, caso o governador Marconi Perillo desista de ser candidato à reeleição. “Não se cogita de Otavinho disputar as eleições deste ano. O nome da base aliada, repito, chama-se Marconi Perillo.”

O prefeito tucano lembrou que Marconi não é adversário fácil de ser derrotado. “Quem se elege três vezes governador do Estado, tem popularidade, capilaridade eleitoral, prestígio junto à população.”

Para o prefeito de Goianésia, Marconi vai apresentar, durante a campanha eleitoral, um discurso motivador, consistente sobre a futura gestão para Goiás, focado em novos projetos voltados para a competência, modernidade e racionalidade administrativa. “Temos que ter um programa voltado para a gestão do futuro, pois 2015 será um ano difícil para os Estados e municípios.”

Jalles Fontoura ressaltou que, enquanto a oposição está dividida, a base aliada segue coesa, sem disputas internas, pronta para disputar e vencer mais uma eleição. “Marconi agrega, soma, convergente, apresenta discurso consistente, boas ideias e está em plena forma política, à frente de um governo que colhe bons frutos.”

Jalles Fontoura argumentou que a presença de Vilmar Rocha (PSD) na chapa aliada como candidato ao Senado reflete “vigor, energia e renovação política.” E acrescenta: “Vilmar Rocha é um dos melhores quadros da política goiana, representou bem Goiás na Câmara Federal e sua presença na chapa majoritária da base governista significa modernidade e presença de projetos avançados no futuro.”

O prefeito de Goianésia não acredita que o deputado federal Ronaldo Caiado será candidato a governador ou a senador. “Caiado deve ser candidato a deputado federal, pois será reeleito, já que faz um bom trabalho no Congresso Nacional.” Ele sustentou que, mesmo que Ronaldo Caiado faça campanha independente, este ano, em Goiás, 80% das lideranças do DEM apoiam a reeleição do governador Marconi.

OPOSIÇÃO

Para o prefeito de Goianésia, o cenário ainda permanece nebuloso em relação às candidaturas da oposição ao governo do Estado. Para ele, o PMDB não sinaliza quem será o candidato, entre Iris Rezende e Júnior Friboi. “Chegar aos 80 anos não é fator inibidor para Iris. Todos nós vivemos o Siqueira Campos eleger-se governador do Tocantins com 82 anos. A gente vê também os sonhos reais do Friboi. As bases do PMDB clamam por Friboi. Neste momento, Iris rivaliza com Marconi, mas a eleição está longe. É difícil prever o futuro do PMDB em Goiás.”

O tucano frisou que, mais uma vez, “o embate de estrelas da oposição em Goiás não vai dar certo, pois falta humildade e o jogo das vaidades contagia todo mundo.” E acrescenta: “Fazer campanha com salto alto, como costuma agir o PMDB e seus aliados, fica difícil chegar à vitória. Não pode querer o poder pelo poder. É preciso ter programas, projetos e, acima de tudo, desprendimento, humildade, o que faltam a eles.”

Para Jalles Fontoura, faltam a Antônio Gomide (PT) e a Vanderlan Cardoso (PSB) consistências político-partidárias e estruturas de campanha. “Gomide é o novo dentro de um quadro velho, que é o governo do PT, em nível nacional. Sendo Gomide candidato de fato, quem vai ser vice, quem vai ser seu candidato a senador? O mesmo eu digo em relação a Vanderlan.”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email