Pesquisador da Fiocruz denuncia transferência clandestina de pacientes com coronavírus para Manaus

247 - O pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Jessem Orellana denunciou que inúmeros prefeitos de cidades do Amazonas estão enviando, clandestinamente, pacientes com coronavírus para Manaus, onde a prefeitura decretou estado de calamidade pública na terça-feira (5). A remoção é feita em ambulâncias e, até mesmo, em veículos particulares.

"Não há vagas nem para quem mora em Manaus. Muitas dessas pessoas devem estar morrendo em trânsito ou morrerão por mais este grave crime contra a saúde pública dentro das ambulâncias ou na porta de hospitais", alertou o estudioso. Os relatos foram publicados no Portal do Holanda.

De acordo com o pesquisador, a prática ocorre porque o Complexo Regulador do Amazonas se recusa a atender aos pedidos de remoção de pacientes. Não existem leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em 61 cidades do interior do estado.

Na terça-feira (5), foi revelada a informação de que, nos últimos 14 dias, o número de internações por coronavírus nos hospitais da rede privada em Manaus aumentou 163%.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio