Pesquisadores de estudo sobre a Covid no país são ameaçados por moradores ou pela polícia

Em alguns casos, eles foram tratados como criminosos, ou pela população, ou pela polícia. Chegaram a ser confundidos com assaltantes

(Foto: REUTERS/Carl Recine)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pesquisadores que participam de um estudo nacional sobre o coronavírus estão enfrentando ameaças, no trabalho de porta em porta. Em alguns casos, eles foram tratados como criminosos, ou pela população, ou pela polícia. Chegaram a ser confundidos com assaltantes. As informações foram divulgadas pelo programa Fantástico.

Em Santarém (PA), além de prender quem aplicava os testes, a polícia pôs a perder testes e equipamentos de proteção individual, manuseados sem cuidado.

Uma pesquisadora, que ficou presa durante horas sob suspeita de fraude, ficou traumatizada: "muito medo. Eu tive medo de ser linchada publicamente".

O estudo está sendo feito em 133 cidades brasileiras, de todos os estados e do Distrito Federal. Em cada cidade, 250 pessoas são testadas. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247