Petição pede que ex-goleiro Bruno não retorne ao futebol

Um grupo de vítimas da violência lançou na internet um abaixo-assinado direcionado a dirigente de futebol para que o ex-goleiro Bruno Fernandes não volte a jogar futebol. A petição online foi lançada pelo movimento Somos Todos Vítimas Unidas; “Bruno deve entender que uma condição para demonstrar seu real arrependimento será dizendo para a mãe onde está sua amada filha, para um enterro digno”, diz o texto; Sônia de Fátima Marcelo da Silva de Moura, mãe de Eliza Samúdio, ex-esposa de Bruno, já recorreu contra a soltura dele; o corpo de Eliza nunca foi encontrado

Petição pede que ex-goleiro Bruno não retorne ao futebol
Petição pede que ex-goleiro Bruno não retorne ao futebol (Foto: Alex de Jesus/O Tempo)

Minas 247 - Um grupo de vítimas da violência lançou na internet um abaixo-assinado direcionado a dirigente de futebol para que o ex-goleiro Bruno Fernandes não volte a jogar futebol. A petição online foi lançada pelo movimento Somos Todos Vítimas Unidas. Até a noite desse sábado (4), eram 1.321 assinaturas.

Bruno foi preso em 2010, acusado de mandar matar Eliza. Condenado a 22 anos de prisão, aguardava preso o julgamento de um recurso apresentado à Justiça de Minas Gerais. No último dia 24, o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio entendeu que havia excesso de prazo na prisão e que o goleiro tem direito a aguardar em liberdade até decisão sobre todos os recursos.

No documento, o grupo destaca que o goleiro representa um símbolo de morte, incompatível com um esportista.m “Jogadores são considerados ídolos e esse tipo de exemplo não podemos aceitar para nossos filhos. Exigimos uma postura ética e moral e não somente populista por parte dos dirigentes dos clubes”, diz a apresentação da petição. “Bruno deve entender que uma condição para demonstrar seu real arrependimento será dizendo para a mãe onde está sua amada filha, para um enterro digno”.

A mãe da atriz Eliza Samudio, Sônia de Fátima Marcelo da Silva de Moura, recorreu contra a soltura do ex-goleiro, determinada no mês passado pelo ministro do Supremo Tribunla Federal Marco Aurélio Mello. No pedido, Sônia afirma que sua liberdade põe em risco a segurança e paz social, além de sua própria integridade física e de seu neto, filho de Bruno com Eliza. “O paciente [goleiro Bruno] não só oferece risco, como também já manifestou seu interesse que colocar as mãos na vítima Bruno Samudio de Souza [filho do goleiro com Eliza] e, teme a embargante [Sônia] que possa ocorrer com seu neto e consigo mesma, o que aconteceu com sua filha, ser morta”, diz o recurso.

Sônia afirmou que o goleiro é “pessoa fria, violenta e dissimulada” e que sua personalidade é “desvirtuada” e “foge dos padrões mínimos de normalidade”. “Visível a demonstração de que o paciente, quanto sentir-se seguro, calculista e frio, bastando apenas, analisar suas declarações em rede nacional de televisão : ‘que mesmo que existisse prisão perpetua no Brasil , nem isso, traria a vitima de volta’”, diz a peça.

Logo depois de solto, Bruno concedeu uma declaração polêmica. "Independente (sic) do tempo que eu fiquei também, eu queria deixar bem claro, se eu ficasse lá, tivesse prisão perpétua, por exemplo, no Brasil... não ia trazer a vítima de volta", disse ele à TV Globo Minas (leia mais aqui).

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247