Petrobras inicia produção de diesel em Abreu e Lima

A Petrobras iniciou na quarta-feira a operação da unidade de hidrotratamento (HDT) de diesel da Refinaria do Nordeste (Rnest), também conhecida como Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, com uma carga inicial de 45.915 barris por dia; a primeira unidade de refino da Rnest entrou em operação em dezembro, mas ainda com sua capacidade limitada  

A Petrobras iniciou na quarta-feira a operação da unidade de hidrotratamento (HDT) de diesel da Refinaria do Nordeste (Rnest), também conhecida como Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, com uma carga inicial de 45.915 barris por dia; a primeira unidade de refino da Rnest entrou em operação em dezembro, mas ainda com sua capacidade limitada
 
A Petrobras iniciou na quarta-feira a operação da unidade de hidrotratamento (HDT) de diesel da Refinaria do Nordeste (Rnest), também conhecida como Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, com uma carga inicial de 45.915 barris por dia; a primeira unidade de refino da Rnest entrou em operação em dezembro, mas ainda com sua capacidade limitada   (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - A Petrobras iniciou na quarta-feira a operação da unidade de hidrotratamento (HDT) de diesel da Refinaria do Nordeste (Rnest), também conhecida como Abreu e Lima, em Pernambuco, com uma carga inicial de 45.915 barris por dia, informou a empresa nesta sexta-feira.

A primeira unidade (trem, no jargão do setor) de refino da Rnest entrou em operação em dezembro, mas ainda com sua capacidade limitada. 

Os contratos da obra da refinaria são um dos focos de investigação da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, por suspeita de superfaturamento. 

A unidade de HDT que começou a operar esta semana é responsável por remover enxofre e nitrogênio das diversas correntes que compõem o óleo diesel, gerando um produto final estável e com teor muito baixo de enxofre, o chamado diesel S-10.

O diesel é o principal produto da Rnest, representando cerca de 70 por cento do volume total processado na refinaria, disse a Petrobras.

"O derivado vai atender, predominantemente, o mercado do Norte/Nordeste, substituindo importações", afirmou a companhia em nota.

A companhia chegou a prever que o segundo trem de refino da Rnest entraria em operação em maio deste ano, mas em janeiro o então diretor de Abastecimento, José Carlos Cosenza, afirmou que poderia haver atrasos devido a uma revisão de cronograma motivada pelas investigações da Polícia Federal.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247