Petroleiros entram em greve e param a Refinaria Gabriel Passos

Os petroleiros da Refinaria Gabriel Passos, em Betim (MG), paralisaram as atividades por um período de oito horas a partir desta quinta (24) cedo; "Os petroleiros não estão lutando por melhores salários nem por benefícios ou privilégios. Estamos lutando para que o gás de cozinha volte a ter o preço que tinha antes, pela baixa da gasolina, pela baixa do preço do diesel", disse o coordenador do Sindpetro, Anselmo Braga; movimento deve ser estendido a outras unidades da Petrobras nos próximos dias

Os petroleiros da Refinaria Gabriel Passos, em Betim (MG), paralisaram as atividades por um período de oito horas a partir desta quinta (24) cedo; "Os petroleiros não estão lutando por melhores salários nem por benefícios ou privilégios. Estamos lutando para que o gás de cozinha volte a ter o preço que tinha antes, pela baixa da gasolina, pela baixa do preço do diesel", disse o coordenador do Sindpetro, Anselmo Braga; movimento deve ser estendido a outras unidades da Petrobras nos próximos dias
Os petroleiros da Refinaria Gabriel Passos, em Betim (MG), paralisaram as atividades por um período de oito horas a partir desta quinta (24) cedo; "Os petroleiros não estão lutando por melhores salários nem por benefícios ou privilégios. Estamos lutando para que o gás de cozinha volte a ter o preço que tinha antes, pela baixa da gasolina, pela baixa do preço do diesel", disse o coordenador do Sindpetro, Anselmo Braga; movimento deve ser estendido a outras unidades da Petrobras nos próximos dias (Foto: Paulo Emílio)

247 - Os petroleiros da Refinaria Gabriel Passos, em Betim (MG), decidiram se unir ao movimento nacional dos caminhoneiros contra o aumento dos combustíveis e, em assembleia realizada no início da manhã desta quinta-feira (24), decidiram paralisar as atividades da unidade por um período de oito horas.

"Os petroleiros não estão lutando por melhores salários, nem por benefícios ou privilégios. Estamos lutando para que o gás de cozinha volte a ter o preço que tinha antes, pela baixa da gasolina, pela baixa do preço do diesel", disse o coordenador do Sindpetro de Minas Gerais, Anselmo Braga.

Segundo ele, o movimento contra a política de reajustes e de importação pela Petrobras deverá ser estendido às demais refinarias e plataformas da Petrobras em todo o País nos próximos dias.

"É o início de uma greve que está sendo construída nacionalmente que pretende paralisar todas as refinarias do país e as plataformas", afirmou. Segundo Braga, "as refirmarias estão trabalhando com carga baixa a mando do governo para que os importadores tragam combustível mais caro para o país".

A greve dos caminhoneiros entra em seu quarto dia e deverá ser estendida até a sexta-feira, segundo a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), entidade que coordena os protestos contra a política de reajustes quase diários dos combustíveis imposta pela Petrobras.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247