PF desarticula esquema criminoso de tráfico internacional de pessoas

A Operação Marguerita, deflagrada nesta quarta-feira (15) pela Polícia Federal, desarticulou grupo criminoso internacional de tráfico de pessoas para fins de exploração sexual. As vítimas eram levadas de Fortaleza, capital do Ceará, para a Itália e Eslovênia. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, 13 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 18 mandados de condução coercitiva

A Operação Marguerita, deflagrada nesta quarta-feira (15) pela Polícia Federal, desarticulou grupo criminoso internacional de tráfico de pessoas para fins de exploração sexual. As vítimas eram levadas de Fortaleza, capital do Ceará, para a Itália e Eslovênia. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, 13 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 18 mandados de condução coercitiva
A Operação Marguerita, deflagrada nesta quarta-feira (15) pela Polícia Federal, desarticulou grupo criminoso internacional de tráfico de pessoas para fins de exploração sexual. As vítimas eram levadas de Fortaleza, capital do Ceará, para a Itália e Eslovênia. Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, 13 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 18 mandados de condução coercitiva (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (15) a Operação Marguerita, com o objetivo de desarticular grupo criminoso internacional especializado em tráfico de pessoas para fins de exploração sexual. As vítimas eram levadas de Fortaleza, capital do Ceará, para a Itália e Eslovênia.

Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão, 13 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 18 mandados de condução coercitiva, todos expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal no Ceará. Os mandados estão sendo cumpridos nos estados do Ceará, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. A ação conta, ainda, com a participação de autoridades policiais da Itália e Eslovênia.

A rede criminosa é composta por aliciadores, responsáveis pelo recrutamento, transporte, viagens para o exterior, acolhimento, alojamento e exploração sexual de vítimas (mulheres) nos países de destino.

Os presos serão indiciados por crime de tráfico internacional de pessoas para fins de exploração sexual, associação criminosa e lavagem de dinheiro, com pena prevista de até 25 anos de reclusão.

A operação foi batizada de “Marguerita” em alusão ao nome da principal boate (Margerita) na Eslovênia, onde se exploravam sexualmente as vítimas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247