Piauí sobe no ranking de competitividade dos estados

Governado por Wellington Dias, o Piauí melhorou sua posição no Ranking de Competividade dos Estados, realizado pela consultoria Tendências em parceria com o Centro de Liderança Pública (CLP), com 33,3 pontos, o Piauí ficou na 23ª posição entre as 27 unidades da Federação, estado à frente de Alagoas, Maranhão, Amapá e Sergipe; em 2016, o Estado estava em 24º lugar; dentre os pilares, o Piauí se destacou nos itens segurança pública e solidez fiscal

O governador do Piauí, Wellington Dias, participa de debate sobre energia eólica no país, durante a 6ª edição do Brazil Windpower (Fernando Frazão/Agência Brasil)
O governador do Piauí, Wellington Dias, participa de debate sobre energia eólica no país, durante a 6ª edição do Brazil Windpower (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Graças à organização fiscal e à segurança pública, o Piauí melhorou sua posição no Ranking de Competividade dos Estados, realizado pela consultoria Tendências em parceria com o Centro de Liderança Pública (CLP). Com 33,3 pontos, o Piauí ficou na 23ª posição entre as 27 unidades da Federação, estado à frente de Alagoas, Maranhão, Amapá e Sergipe. Em 2016, o Estado estava em 24º lugar. O estudo da versão 2017 foi divulgado nesta quarta-feira (20) e analisa todas as unidades federativas por meio de dez pilares/setores estratégicos, como infraestrutura, solidez fiscal, educação e potencial de mercado, entre outros.

Dentre os pilares, o Piauí se destacou nos itens segurança pública e solidez fiscal. No primeiro, o Piauí evoluiu da 17ª posição em 2016 para a 14ª. A melhoria foi graças aos indicadores segurança pessoal (taxa de homicídios) e déficit carcerário (capacidade de as cadeias abrigarem os presos).

Na segurança pessoal, o Piauí subiu da 6ª colocação no ano passado para 4ª este ano, atrás apenas dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Roraima. No déficit carcerário, o salto foi maior. O Piauí saiu da 22ª posição em 2016 para a 10º este ano.

Mas é na administração das finanças públicas que o Piauí fica dá exemplo aos demais estados. Em 2016, o Estado ocupava a 17ª posição e este ano chegou a 6ª, ficando bem à frente de regiões mais desenvolvidas, como Santa Catarina, Pernambuco, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Dentro do pilar solidez fiscal, o destaque vai para a capacidade de investimento, uma característica que o Piauí vem melhorando a cada ano. Em 2015, o Piauí era o 10º estado com maior capacidade de investimento. No ano passado passou a 9º e, este ano, é o 3º.
 
Veja os números
Ranking de Competividade Piauí 2017 - 23º
Ranking de Competividade Piauí 2016 - 24º
 
Pilares e indicadores em que o Piauí mais se destacou
Pilar Segurança Pública – 14ª posição (contra 17ª em 2016)
Pilar Solidez Fiscal – 6ª posição (contra 17ª em 2016)
Indicador Enem – 18ª posição (contra 21ª em 2016)
Indicador Déficit carcerário – 10ª posição (contra 22ª em 2016)
Indicador Segurança pessoal – 4ª posição (contra 6ª em 2016)
Indicador Capacidade de Investimento – 3ª posição (contra 7ª em 2016)
 
Outros indicadores em que o Piauí melhorou
Previdência Social – 1ª posição
Taxa de crescimento do mercado – 17ª posição
Custo de mão-de-obra – 2ª posição
Avaliação da educação – 1ª posição
Servidores comissionados – 11ª posição
Mobilidade urbana – 5ª posição
Patentes – 17ª posição

Fonte: CLP e Tendências Consultoria

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247