PIB de Goiás registra alta de 3% no 3º trimestre

Economia goiana continua registrando crescimento acima da média nacional, que foi de 2,2% no mesmo período; entre as atividades econômicas pesquisadas pelo IMB/Segplan no Estado, a maior expansão foi verificada na indústria, 4,5%, com destaque para a indústria de transformação, extrativa e construção civil; indústria de transformação teve bons resultados em todos os segmentos, principalmente produtos químicos e minerais não metálicos

Economia goiana continua registrando crescimento acima da média nacional, que foi de 2,2% no mesmo período; entre as atividades econômicas pesquisadas pelo IMB/Segplan no Estado, a maior expansão foi verificada na indústria, 4,5%, com destaque para a indústria de transformação, extrativa e construção civil; indústria de transformação teve bons resultados em todos os segmentos, principalmente produtos químicos e minerais não metálicos
Economia goiana continua registrando crescimento acima da média nacional, que foi de 2,2% no mesmo período; entre as atividades econômicas pesquisadas pelo IMB/Segplan no Estado, a maior expansão foi verificada na indústria, 4,5%, com destaque para a indústria de transformação, extrativa e construção civil; indústria de transformação teve bons resultados em todos os segmentos, principalmente produtos químicos e minerais não metálicos (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ O indicador estimado do Produto Interno Bruto (PIB) Trimestral de Goiás apresentou crescimento de 3% no terceiro trimestre de 2013, na comparação com igual trimestre do ano anterior. O cálculo é do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socieconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan). No terceiro trimestre deste ano, o PIB do Brasil cresceu 2,2% em relação ao mesmo período de 2012.

De acordo com o secretário de Gestão e Planejamento, Giuseppe Vecci, a economia goiana continua registrando crescimento acima da média nacional, o que demonstra o acerto da política adotada pelo Governo Estadual, de atração de investimentos e fomento ao setor produtivo, assim como o bom desempenho do empresariado do Estado. “Goiás tem sido ousado. Hoje já temos polos farmacêutico e metal-químico, algo inimaginável anos atrás”, afirmou.

Entre as atividades econômicas pesquisadas pelo IMB/Segplan em Goiás no terceiro trimestre deste ano, a maior expansão foi verificada na indústria: 4,5%. O setor foi destaque impulsionado pela indústria de transformação, extrativa e construção civil. A indústria de transformação teve bons resultados em todos os segmentos, principalmente produtos químicos e minerais não metálicos.

Na construção civil foram importantes obras de empreendimentos imobiliários, rodovias e ferrovias, assim como de urbanização e saneamento básico. A única queda ocorreu na atividade de eletricidade, gás, água e limpeza urbana (Siup), devido à menor geração de energia nas usinas de Serra da Mesa e São Simão, motivada pela mudança no regime de chuva ocorrida em Goiás.

O setor de serviços apresentou índice de 3% no terceiro trimestre de 2013 sobre igual período de 2012, segundo os pesquisadores do IMB/Segplan. O maior crescimento foi observado no subsetor de transportes, resultante da expansão no modal rodoviário. Por outro lado, o transporte aéreo apresentou recuo no período, puxado pelo menor fluxo de passageiros. Já as atividade do comércio, administração pública, serviços prestados às empresas e aluguel registraram crescimento no terceiro trimestre deste ano.

Agropecuária

A agropecuária encerrou o terceiro trimestre de 2013 com variação de 1% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Esse resultado foi o menor dos últimos quatros anos no trimestre e reflete o comportamento das culturas de milho e cana de açúcar, época em que grande parte da colheita é realizada. Segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA/IBGE) de outubro de 2013, a safra goiana de grãos apresentou queda de 1,4% no comparativo com a safra de 2012. Conforme dados do LSPA, o milho, uma das principais culturas do Estado, recuou 6,6% no ano devido à perda provocada pela falta de chuva no período de formação do grão. A cana de açúcar cresceu 14,7%, enquanto o feijão e o algodão registraram quedas, respectivamente, de 18% e 41,8%.

A pecuária goiana neste terceiro trimestre apresentou seu comportamento típico, com crescimento moderado de 0,9%. Os maiores destaques foram a produção de leite e o efetivo de suíno e de aves.

O PIB Trimestral é estimado pelo IMB/Segplan, que apura a variação real do agregado macroeconômico refrente à economia goiana, por meio da evolução da produção física de seus principais setores de atividade. Para tanto, foi desenvolvida metodologia própria, ajustada à do PIB regional.

Como já é de conhecimento, o PIB de Goiás é um indicador apurado anualmente pelo IMB/Segplan, em parceria com o IBGE, havendo entretanto uma defasagem temporal de dois anos nos resultados apurados. O indicador trimestral vem suprir esta lacuna, pois reflete a conjuntura econômica no curto praqzo, antecedendo o PIB anual consolidado. Mas é necessário ressaltar que os resultados do PIB Trimestral ora apresentados são preliminares e sujeiros a retificação, quando estimadas as Contas Regionais definitivas, em conjunto com o IBGE e as 27 Unidades da Federação.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247