Pimenta: 130 dias sem que o STF julgue Cunha

Em postagem no Facebook, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) contabiliza que já se passaram 130 dias desde que o procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu ao Supremo Tribunal Federal o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara; "Passados mais de quatro meses, o silêncio do STF. Até quando esperar", pergunta

Em postagem no Facebook, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) contabiliza que já se passaram 130 dias desde que o procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu ao Supremo Tribunal Federal o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara; "Passados mais de quatro meses, o silêncio do STF. Até quando esperar", pergunta
Em postagem no Facebook, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) contabiliza que já se passaram 130 dias desde que o procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu ao Supremo Tribunal Federal o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara; "Passados mais de quatro meses, o silêncio do STF. Até quando esperar", pergunta (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em postagem no Facebook, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) contabiliza que já se passaram 130 dias desde que o procurador-geral da República Rodrigo Janot pediu ao Supremo Tribunal Federal o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara.

Abaixo a publicação:

ATÉ QUANDO ESPERAR? 130 DIAS!

No dia 16 de dezembro de 2015, o Ministério Público Federal pediu o afastamento do Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ao Supremo Tribunal Federal. Passados mais de quatro meses, o silêncio do STF. Cunha é réu no STF por corrupção e lavagem de dinheiro e o MPF pede a devolução de R$ 277 milhões aos cofres públicos que, segundo o procurador-geral da República, foram recebidos por Cunha mediante pagamento de propina no exterior.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email