Pimenta: Cármen Lúcia já se dobrou à pressão da Globo e da grande imprensa

Em resposta à declaração da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, de que não cederia a pressões para pautar a questão da prisão após condenação em segunda instância na corte, o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, respondeu no Twitter: "Cármem Lúcia JÁ SE DOBROU à pressão da Globo e da grande imprensa do país"; ele lembra ainda que a ministra pautou deu voto de desempate a favor de Aécio em 2017, agindo rápido no movimento que acabou devolvendo o mandato ao senador, flagrado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista

pimenta carmen
pimenta carmen (Foto: Gisele Federicce)

247 - O deputado federal Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, rebateu a declaração da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, de que não cederia a pressões para pautar a questão da prisão após condenação em segunda instância, que pode beneficiar o ex-presidente Lula e outros milhares de presos brasileiros.

Ao ser questionada sobre como lidava com o lobby para revisar a previsão de prisão a partir de decisão da segunda instância, Carmen Lúcia respondeu: "Eu não lido. Eu não me submeto a pressão". A declaração foi feita em um evento da Folha nesta terça-feira 13.

Pimenta comentou no Twitter: "Cármem Lúcia JÁ SE DOBROU à pressão da Globo e da grande imprensa do país". Ele lembra ainda que a ministra pautou e deu voto de desempate a favor do senador Aécio Neves em 2017, agindo rápido no movimento que acabou devolvendo o mandato ao senador, flagrado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista.

"Quando Aécio foi afastado, em 26 de setembro de 2017, por uma decisão da 1ª turma do STF, Cármen Lúcia agiu rápido e 3 dias depois marcou data do julgamento, que posteriormente devolveria ao senador uma cadeira no Congresso", destacou o parlamentar.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247