Pimenta defende anulação do impeachment

Na semana em que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que o ex-deputado Eduardo Cunha comanda o governo Michel Temer de dentro da cadeia, o deputado federal Paulo Pimenta defendeu que o STF tenha coragem para anular o impeachment. Em discurso na tarde desta quinta-feira (9), Pimenta enfatizou que não há solução sem democracia e reforçou que o país foi "tomado de assalto por uma quadrilha de criminosos"

Na semana em que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que o ex-deputado Eduardo Cunha comanda o governo Michel Temer de dentro da cadeia, o deputado federal Paulo Pimenta defendeu que o STF tenha coragem para anular o impeachment. Em discurso na tarde desta quinta-feira (9), Pimenta enfatizou que não há solução sem democracia e reforçou que o país foi "tomado de assalto por uma quadrilha de criminosos"
Na semana em que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que o ex-deputado Eduardo Cunha comanda o governo Michel Temer de dentro da cadeia, o deputado federal Paulo Pimenta defendeu que o STF tenha coragem para anular o impeachment. Em discurso na tarde desta quinta-feira (9), Pimenta enfatizou que não há solução sem democracia e reforçou que o país foi "tomado de assalto por uma quadrilha de criminosos" (Foto: Gisele Federicce)

Rio Grande do Sul 247 – O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) defendeu em discurso nesta quinta-feira 9 que o Supremo Tribunal Federal tenha coragem para anular o impeachment que tirou Dilma Rousseff do poder. Ele enfatizou que não há solução sem democracia e reforçou que o país foi "tomado de assalto por uma quadrilha de criminosos".

Nesta semana, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que o ex-deputado Eduardo Cunha comanda o governo Michel Temer de dentro da cadeia (leia aqui). "É hora de o STF, acovardado, sim, anular o impeachment, e anteciparmos o calendário eleitoral", defendeu o parlamentar.

Ao lembrar que todos os "homens de confiança" de Temer já caíram por escândalos de corrupção, Pimenta criticou a seletividade do sistema de justiça no Brasil. "Não sobrou ninguém no entorno de Temer. Se houvesse coerência por parte do juiz Sérgio Moro, dos ministros do STF e do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, boa parte dos homens de Temer já estaria presa", protestou o petista.

O deputado também classificou como ridículas as falas de Michel Temer no Dia Internacional da Mulher. "Temer usou termos que se referiam a um pensamento do século XIX", disparou. Nesta quarta-feira 8, em cerimônia no Palácio do Planalto, Temer afirmou que o papel da mulher é cuidar dos "afazeres domésticos", do orçamento da família e acompanhar os preços nos supermercados.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247