Pimentel demonstra boa relação com presidente da Assembleia

Apesar do recente pedido de impeachment ter sido aceito pela Mesa Diretora da Assembleia de Minas (ALMG), o governador Fernando Pimentel (PT) e o presidente do Legislativo, deputado Adalclever Lopes (MDB), ficaram juntos em um evento do agronegócio; no entanto, Pimentel ficou distante do vice-governador Toninho Andrade (MDB); para justificar a situação, o governador declamou um verso do mineiro Carlos Drummond

Apesar do recente pedido de impeachment ter sido aceito pela Mesa Diretora da Assembleia de Minas (ALMG), o governador Fernando Pimentel (PT) e o presidente do Legislativo, deputado Adalclever Lopes (MDB), ficaram juntos em um evento do agronegócio; no entanto, Pimentel ficou distante do vice-governador Toninho Andrade (MDB); para justificar a situação, o governador declamou um verso do mineiro Carlos Drummond
Apesar do recente pedido de impeachment ter sido aceito pela Mesa Diretora da Assembleia de Minas (ALMG), o governador Fernando Pimentel (PT) e o presidente do Legislativo, deputado Adalclever Lopes (MDB), ficaram juntos em um evento do agronegócio; no entanto, Pimentel ficou distante do vice-governador Toninho Andrade (MDB); para justificar a situação, o governador declamou um verso do mineiro Carlos Drummond (Foto: Voney Malta)

Minas 247 – Apesar do recente pedido de impeachment por crime de responsabilidade ter sido aceito pela Mesa Diretora da Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o governador Fernando Pimentel (PT) não alterou a sua rotina, embora tenha sido aconselhado, prevista para eventos voltados ao agronegócio no Triângulo Mineiro.

Ele avaliou que estar junto aos produtores de gado e de cana era estratégico enquanto governador de Minas. Aos ruralistas, no discurso, afirmou que os serviços públicos, como segurança, saúde e educação, estão funcionando bem, e que as prefeituras estão cumprindo o seu papel.

Depois seguiu para um almoço na Fazenda Santa Vitória, do Grupo CMAA, para participar da cerimônia de abertura da safra de cana de açúcar e etanol, promovida pela Siamig. Nesse evento, ficou evidente o racha mineiro entre o PT, partido do governador, e o MDB do vice-governador Toninho Andrade, que preferiu sentar-se em outra mesa juntamente com o ex-governador de São Paulo e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), o senador e pré-candidato ao governo de Minas Antonio Anastasia (PSDB), o deputado federal Marcos Montes (PSD) e o prefeito de Uberaba Paulo Piau (MDB).

Enquanto isso, Fernando Pimentel se posicionou ao lado do presidente da ALMG, Adalclever Lopes (MDB), e do presidente do Conselho da Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA), José Francisco dos Santos, com quem chegou ao evento, se posicionando ao lado do ex-ministro de Transportes Anderson Adauto e do presidente da Siamig, Mário Campos.

O distanciamento foi comentado pelo próprio Fernando Pimentel em seu discurso aos representantes do setor sucroalcooleiro. Sem citar nomes, ele disse que iria matar a curiosidade da imprensa ao explicar porque ele havia se posicionado ao lado do presidente da Assembleia, enquanto em outra mesa estavam companheiros de outros partidos, em um clima de cordialidade e amizade. “Com certeza devem estar se perguntando, o que isso significa, o que isso quer dizer. Então vou responder com um verso simples de Carlos Drummond de Andrade, nosso poeta maior. ‘Minas o que é? Só os mineiros sabem, mas nem assim mesmo confessam o irrevelável segredo de Minas’. Continuem vivendo com os segredos de Minas”, encerrou.

Sobre o pedido de impeachment acatado pela Assembleia, Pimentel disse não estar preocupado e não comentou se haverá mudanças nas alianças políticas a partir de agora.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247