Pimentel é alvo de nova denúncia na Operação Acrônimo

Procuradoria Geral da República (PGR) denunciou pela segunda vez o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), no âmbito da Operação Acrônimo; nova denúncia trata do crime de corrupção passiva;  empresário e ex-presidente da empreiteira Odebrecht, Marcelo Odebrecht, foi denunciado na mesma ação pelo crime de corrupção ativa; denúncia, será encaminhada à Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a quem cabe decidir se abrirá ou não uma ação penal contra o governador

Governador Fernando Pimentel participa da Instalação do Comitê de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zica Virus. 28-12-2015 Palácio da Liberdade. Foto: Manoel Marques/imprensa-MG
Governador Fernando Pimentel participa da Instalação do Comitê de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zica Virus. 28-12-2015 Palácio da Liberdade. Foto: Manoel Marques/imprensa-MG (Foto: Paulo Emílio)

247 - A Procuradoria Geral da República (PGR) denunciou pela segunda vez o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), no âmbito da Operação Acrônimo. A nova denúncia trata do crime de corrupção passiva. O empresário e ex-presidente da empreiteira Odebrecht, Marcelo Odebrecht, foi denunciado na mesma ação pelo crime de corrupção ativa.

A denúncia contra Pimentel foi baseada partir da delação premiada feita pelo empresário Benedito Oliveira, o Bené, um dos delatores da Operação Acrônimo, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro em campanhas eleitorais. Pimentel e Marcelo Odebrecht são acuados de desvios no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre 2012 e 2014, quando o governador exerceu o cargo de ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A denúncia, será encaminhada à Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a quem cabe decidir se abrirá ou não uma ação penal contra o governador. Em outubro, o Superior Tribunal de Justiça decidiu que a Assembleia teria de autorizar a abertura de qualquer ação penal contra Pimentel.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247