Pimentel: não aceitarei “exigências descabidas” do governo Temer

Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), disse nesta quinta (29) que não vai aceitar as "exigências descabidas" do governo de Michel Temer como contrapartidas estaduais no programa de recuperação fiscal para os estados em dificuldades financeira. "Vamos continuar dialogando com o governo federal, buscando achar caminhos que possam ajudar os Estados, porém sem exigências descabidas. Aquilo que fere o direito do servidor público, que vai prejudicar o serviço público, nós não podemos aceitar", afirmou; entre as exigências consideradas descabidas por Pimentel estão a suspensão de reajustes ao funcionalismo e mudanças nos sistemas de previdência estadual; confira áudio do comentário do governador

O governador de Minas Fernando Pimentel
O governador de Minas Fernando Pimentel (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), disse, nesta quinta-feira (29), que não vai aceitar o que considera "exigências descabidas" do governo federal como contrapartidas estaduais no âmbito do programa de recuperação fiscal para os estados em dificuldades financeira. "Vamos continuar dialogando com o governo federal, buscando achar caminhos que possam ajudar os Estados, porém sem exigências descabidas. Aquilo que fere o direito do servidor público, que vai prejudicar o serviço público, nós não podemos aceitar", afirmou Pimentel.

"Eu creio que o governo federal ainda não percebeu a gravidade da crise nos Estados brasileiros", afirmou o governador em um áudio enviado à imprensa. Ele disse, ainda, que "é preciso de uma intervenção, de uma ajuda mais rápida do governo federal para todos os Estados". No áudio, Pimentel também destaca que, apesar do Estado desejar o ajuste, isso não pode afetar o "compromisso maio" com o funcionalismo público.

Dentre as exigências consideradas descabidas por Pimentel estão a suspensão de reajustes ao funcionalismo e mudanças nos sistemas de previdência estaduais. Minas Gerais decretou estado de calamidade financeira no último dia 6 e anunciou o parlamento do 13º salário dos servidores estaduais.

Confira o comentário do governador mineiro:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email