Platini admite que não existe contrato escrito com Blatter

"De todos os modos, entendi que no direito suíço um contrato oral tem o mesmo valor que um escrito", disse Platini; O francês dá a entender na entrevista que Blatter vazou a informação, que rendeu a ambos uma suspensão de 90 dias pelo comitê de ética da Fifa; "Apesar dele querer me matar politicamente, tenho algo de afeto pelo que vivemos juntos", disse

"De todos os modos, entendi que no direito suíço um contrato oral tem o mesmo valor que um escrito", disse Platini; O francês dá a entender na entrevista que Blatter vazou a informação, que rendeu a ambos uma suspensão de 90 dias pelo comitê de ética da Fifa; "Apesar dele querer me matar politicamente, tenho algo de afeto pelo que vivemos juntos", disse
"De todos os modos, entendi que no direito suíço um contrato oral tem o mesmo valor que um escrito", disse Platini; O francês dá a entender na entrevista que Blatter vazou a informação, que rendeu a ambos uma suspensão de 90 dias pelo comitê de ética da Fifa; "Apesar dele querer me matar politicamente, tenho algo de afeto pelo que vivemos juntos", disse (Foto: Luis Mauro Queiroz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - O presidente suspenso da Uefa, Michel Platini, admitiu que não existiu um contrato escrito para o polêmico pagamento de 1,8 milhão de euros que recebeu do presidente demissionário da Fifa, Joseph Blatter, e sim acordo "homem a homem", em uma entrevista ao jornal Le Monde.

"De todos os modos, entendi que no direito suíço um contrato oral tem o mesmo valor que um escrito", disse Platini.

O francês dá a entender na entrevista que Blatter vazou a informação, que rendeu a ambos uma suspensão de 90 dias pelo comitê de ética da Fifa.

"Apesar dele querer me matar politicamente, tenho algo de afeto pelo que vivemos juntos", disse.

O tipo de contrato entre os dois, que provocou o famoso pagamento de 1,8 milhão de euros a Platini em 2011 por um trabalho de assessor que acabou em 2002, é algo fundamental para o futuro do dirigente francês.

A ausência de contrato escrito pode provocar a retirada do apoio das federações europeias à candidatura de Platini à presidência da Fifa, o que a Federação Inglesa já fez na sexta-feira passada.

O acordo com Blatter foi concretizado em 1998, pouco depois da eleição de Blatter ao comando da Fifa, afirmou Platini ao Le Monde.

Platini recorda o diálogo entre ambos quando o suíço propôs que o francês atuasse como seu conselheiro.

"Quanto deseja?, perguntou Blatter. Eu respondo: 'Um milhão. 'De que?'. 'Do que desejar. De rublos, libras, dólares'. Na época não existia o euro. Ele responde: De acordo, um milhão de francos suíços por ano'", conta Platini.

O pagamento em 2011, nove anos depois do fim do trabalho, é o saldo da soma total, segundo Platini.

"Teria sido melhor pedir um reconhecimento da dívida e deste modo não teria acontecido nada do que ocorreu", afirmou Platini ao Le Monde.

A justiça suíça iniciou um processo penal contra Blatter pelo pagamento a Platini e por um contrato sobre direitos de TV com o jamaicano Jack Warner.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247