PM detém 30 suspeitos de ataques a ônibus

A Polícia Militar (PM) prendeu 30 pessoas suspeitas de participar dos ataques a ônibus em Belo Horizonte e na Região Metropolitana desde o último fim de semana quando os crimes começaram; foram 15 prisões, nove delas em Contagem e seis no bairro Castanheira, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte; treze coletivos foram incendiados desde domingo (12)

A Polícia Militar (PM) prendeu 30 pessoas suspeitas de participar dos ataques a ônibus em Belo Horizonte e na Região Metropolitana desde o último fim de semana quando os crimes começaram; foram 15 prisões, nove delas em Contagem e seis no bairro Castanheira, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte; treze coletivos foram incendiados desde domingo (12)
A Polícia Militar (PM) prendeu 30 pessoas suspeitas de participar dos ataques a ônibus em Belo Horizonte e na Região Metropolitana desde o último fim de semana quando os crimes começaram; foram 15 prisões, nove delas em Contagem e seis no bairro Castanheira, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte; treze coletivos foram incendiados desde domingo (12) (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - A Polícia Militar (PM) prendeu 30 pessoas suspeitas de participar dos ataques a ônibus em Belo Horizonte e na Região Metropolitana desde o último fim de semana quando os crimes começaram. Só nesta terça-feira (14), foram 15 prisões, nove delas em Contagem e seis no bairro Castanheira, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte. Treze coletivos foram incendiados desde domingo (12).

Mais dois ônibus foram incendiados na região metropolitana de Belo Horizonte, sendo um na capital e outro e em Contagem. A Polícia Militar (PM).

Por volta das 0h20, na avenida Waldir Soeiro Emrich, no bairro Castanheira, na região do Barreiro, na capital, motorista do ônibus da linha 342 (Estação Barreiro / Solar via Estação Diamante) parou para desembarque. Um grupo de pessoas com galões de gasolina e armado ordenaram que todos descessem. Foram detidos uma jovem de 18 anos, um de 19 anos e um de 27, além de seis adolescentes, quatro de 16 anos e um de 17 anos.

Em bilhete apreendido pelos policiais, os criminosos apontaram a causa do crime. "É pela opressão no sistema de Bicas II. Queremos melhoria o mais rápido possível, senão vai rolar morte lá dentro e aqui fora. E foda-se o Estado. Assinado o crime" - o primeiro coletivo a ser queimado foi na noite de domingo (12), em Belo Horizonte, na Via 240, no bairro Monte Azul, na Região Norte. Segundo a PM, o ataque de sete criminosos teria sido um protesto contra maus-tratos sofridos por um comparsa preso.

Na noite dessa terça-feira (14), por volta das 20h40, foi a vez do ônibus da linha 101 (Nacional), em Contagem. Quando o grupo fugia, a PM chegou ao local e perseguiu os criminosos. Um deles disparou tiros contra os militares, que revidaram.

Em um beco, os policiais detiveram um jovem de 20 anos, um homem de 47 anos e três adolescentes de 14, 15 e 17 anos. O grupo contou que uma adolescente de 14 anos os ajudou, dando sinal para o ônibus. Ele foi detida em casa. Os criminosos disseram que cometeram o crime, devido a morte de um integrante de uma gangue.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247