PM interdita depósito da Saúde em Caldas Novas

Aparelho de raios-x e cilindros de oxigênio foram descartados e acondicionados de forma precária, levando risco à população; polícia interditou a rua para a retirada dos materiais; prefeitura vai acionar o Ministério Público para apurar responsabilidades

PM interdita depósito da Saúde em Caldas Novas
PM interdita depósito da Saúde em Caldas Novas (Foto: Tarcísio Araruna)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ A Polícia Militar de Caldas Novas interditou um depósito irregular de medicamentos e aparelhagem médica. Na casa, que era utilizada pela antiga sede Serviço Nacional de Emprego (Sine) na cidade, os policiais militares encontraram mais de mil caixas de medicamentos com a data de validade vencida e aparelhos descartados de forma irregular, como autoclaves, cadeiras de dentista, macas hospitalares, cilindros de oxigênio e aparelhos com potencial radioativo, como uma máquina de raios-x.

O comandante da Polícia Militar de Caldas Novas, tenente-coronel Heber de Sousa Lima, solicitou que a rua fosse interditada durante o procedimento de abordagem. “Não sabíamos o poderíamos encontrar. Há risco, sim, de radioatividade, pois há aparelhos de Raio-X e cilindros de oxigênio, que podem provocar um grande acidente, seja radiológico, ou uma grande explosão, se mal manuseados”, disse o coronel da PM.

Além dos aparelhos, a Polícia Militar também encontrou medicamentos se deteriorando dentro do depósito irregular. O atual secretário de Saúde de Caldas Novas, Mauro Henrique Palmerston, disse que irá abrir procedimento interno para apurar o descarte. “Visivelmente, temos uma afontra à lei de descarte de medicamentos, produtos químicos, comprimidos e caixas inteiras. Elas simplesmente foram jogadas aqui. Pode haver risco de contaminação do solo, da água e das pessoas que residem aqui próximo. Vamos apurar quem deixou milhares de caixas de medicamentos aqui e vamos abrir procedimento administrativo”, afirmou o secretário de saúde.

O procurador-geral do município, Vicente Lopes Júnior, também planeja recorrer ao Ministério Público. “É um caso grave, possivelmente, até um caso de improbidade administrativa, e vamos solicitar às autoridades competentes que busquem formas de apurar quem cometeu isso. É um risco para os moradores, um risco para a vizinhança, um risco ao meio-ambiente e um risco para toda cidade de Caldas Novas”, disse o procurador.

Atestados de óbito

Além dos medicamentos com data de validade vencida e os aparelhos médicos, a casa era utilizada para guardar arquivos de procedimentos médicos, como atendimentos, cirurgias e prontuários com atestados de óbitos. Na maioria dos casos, os documentos oficiais eram descartados fora das caixas, lançados juntos de aparelhos, computadores e entulhos.

O secretário de Saúde de Caldas Novas afirmou que irá periciar os documentos. “Pode haver, inclusive, provas de crimes, fraudes, procedimentos médicos lançados no sistema de forma irregular. Além de ser um imenso desrespeito com o cidadão, pode ser também provas que podem ser anexadas ao processo administrativo e jurídico. Podem estar nestas caixas as provas que precisamos para incriminar os suspeitos”, disse o secretário. A Polícia Militar estima que mais de mil caixas com documentos estão no depósito irregular.

(Com informações da Secretaria de Comunicação de Caldas Novas)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email