PM lança projeto Segurança Comunitária em BH

O comandante-geral da PM-MG, coronel Helbert Figueiró de Lourdes, apresentou para empresários e entidades de classe de diversos setores o projeto Segurança Comunitária, que será iniciado em Belo Horizonte e prevê uma maior aproximação do trabalho da PM junto ao cidadão e a comunidade; a proposta prevê a divisão da capital mineira em 86 territórios, onde serão instaladas bases comunitárias, constituídas por uma van, equipada com câmeras de videomonitoramento, rádios digitais e equipamentos de segurança

O comandante-geral da PM-MG, coronel Helbert Figueiró de Lourdes, apresentou para empresários e entidades de classe de diversos setores o projeto Segurança Comunitária, que será iniciado em Belo Horizonte e prevê uma maior aproximação do trabalho da PM junto ao cidadão e a comunidade; a proposta prevê a divisão da capital mineira em 86 territórios, onde serão instaladas bases comunitárias, constituídas por uma van, equipada com câmeras de videomonitoramento, rádios digitais e equipamentos de segurança
O comandante-geral da PM-MG, coronel Helbert Figueiró de Lourdes, apresentou para empresários e entidades de classe de diversos setores o projeto Segurança Comunitária, que será iniciado em Belo Horizonte e prevê uma maior aproximação do trabalho da PM junto ao cidadão e a comunidade; a proposta prevê a divisão da capital mineira em 86 territórios, onde serão instaladas bases comunitárias, constituídas por uma van, equipada com câmeras de videomonitoramento, rádios digitais e equipamentos de segurança (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - O comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais (PM-MG), coronel Helbert Figueiró de Lourdes, apresentou para empresários e entidades de classe de diversos setores o projeto Segurança Comunitária, que será iniciado em Belo Horizonte e prevê uma maior aproximação do trabalho da PM junto ao cidadão e a comunidade. A ação integra o Programa Mais Segurança, criado pelo governador Fernando Pimentel, e já realizou uma série de investimentos na segurança pública em toda Minas Gerais, permitindo, após seis anos, a redução do número de crimes violentos no estado. A proposta prevê a divisão da capital mineira em 86 territórios, onde serão instaladas bases comunitárias, constituídas por uma van, equipada com câmeras de videomonitoramento, rádios digitais e equipamentos de segurança. 

Nelas, também serão realizadas o registro de ocorrências, por meio de sistemas informatizados. Além disso, cada uma das bases contará com duas motocicletas – no total serão 172 – para o patrulhamento da região e atendimento de ocorrências. Todo o trabalho soma-se ao serviço de radiopatrulhamento já realizado na capital.

A expectativa é de que, até o próximo mês de agosto, o Segurança Comunitária esteja em ação em todas as regiões de Belo Horizonte.

O coronel Helbert destacou a importância da implementação do projeto, que irá potencializar o trabalho e o tempo de resposta da polícia. Com a divisão dos setores, a cada quatro quilômetros haverá uma base comunitária da PM.  “Essas bases ocuparão 86 pontos selecionados estrategicamente em Belo Horizonte, pontos esses de maior circulação de pessoas, maior índice de criminalidade e de maior visibilidade”, explica.

“Temos a convicção que estamos no caminho certo e que, no final de 2017 e em 2018, estaremos oferecendo ao estado condições de segurança extremamente mais favoráveis”, afirma o comandante-geral da PMMG.

A segurança, segundo o coronel Helbert, é fundamental na atração de investimentos em Minas Gerais. “A segurança pública é um instrumento de proteção do sistema econômico do nosso estado. Quando o estado está em estabilidade em termos de segurança pública, ele também oferece uma sustentabilidade ao seu sistema econômico em todas as vertentes de atuação, seja na indústria, no comércio, no entretenimento, no lazer. A segurança favorece isso”, finaliza.

Números e ações

Entre os investimentos já realizados na primeira etapa do programa Mais Segurança está a ampliação do número de policiais no estado. Segundo o governo, mil novos policiais foram destinados para o trabalho na Região Metropolitana de Belo Horizonte, enquanto outros 1.800 foram designados para o trabalho no interior. Mais de 1.400 novas viaturas foram entregues para o trabalho em todas as regiões de Minas Gerais. Além disso, a digitalização da rede de rádio da PM também garantiu maior segurança, qualidade e cobertura para o trabalho.

Novos investimentos estão previstos em outras etapas do Programa Mais Segurança, mas as primeiras ações já começaram a gerar resultados positivos. O principal deles é a diminuição dos índices de criminalidade em toda Minas Gerais.

Pela primeira vez nos últimos seis anos as estatísticas de roubo em Minas Gerais e em Belo Horizonte apresentaram queda. Na comparação do dos quatro primeiros meses de 2017 a igual período de 2016, a redução no número de roubos foi de 4,6%, no estado, e de 13,8% na capital. O número de vítimas de homicídio caiu 4,3%, no estado, e 22,8% em Belo Horizonte, de acordo com dados disponibilizados pelo executivo.

A reversão na curva dos índices de roubo em Minas Gerais começou a acontecer em fevereiro de 2016, com a diminuição dos índices de crescimento, e foi modificada neste ano. Avaliando a variação alcançada na comparação dos roubos, de abril do ano passado com este ano, de 15,7%, chega-se ao melhor percentual dos últimos 64 meses.

Dos 12 crimes violentos acompanhados mensalmente pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), por meio do Observatório de Segurança Pública Cidadã, há redução, no estado em 11 deles, como o homicídio consumado e tentado, lesão corporal, sequestro e cárcere privado.

Na capital há queda em nove dos 12 crimes monitorados, com destaque para a redução de 44,4% dos registros de extorsão mediante sequestro, 37% dos sequestros e cárceres privados, 24,8% dos registros de homicídio tentado e 22,75% das vítimas de homicídio consumado.

*Com assessoria

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247