PMDB dá prazo a Derval para recompor comissões criadas por Kátia

Executiva Nacional do PMDB deu prazo até a próxima segunda-feira, 17, para que o presidente estadual da legenda, Derval de Paiva, restabeleça as 51 comissões provisórias municipais do partidos, formalizadas pela ministra Kátia Abreu, enquanto esteve à frente da Comissão Interventora; Derval de Paiva foi chamado em Brasília para ouvir a determinação de que o acordo fosse cumprido; "Ele está colocando o partido em rota de colisão com uma Ministra de Estado e comigo, que sou deputado federal e ex-governador", afirmou o deputado Carlos Gaguim, aliado de Kátia

Executiva Nacional do PMDB deu prazo até a próxima segunda-feira, 17, para que o presidente estadual da legenda, Derval de Paiva, restabeleça as 51 comissões provisórias municipais do partidos, formalizadas pela ministra Kátia Abreu, enquanto esteve à frente da Comissão Interventora; Derval de Paiva foi chamado em Brasília para ouvir a determinação de que o acordo fosse cumprido; "Ele está colocando o partido em rota de colisão com uma Ministra de Estado e comigo, que sou deputado federal e ex-governador", afirmou o deputado Carlos Gaguim, aliado de Kátia
Executiva Nacional do PMDB deu prazo até a próxima segunda-feira, 17, para que o presidente estadual da legenda, Derval de Paiva, restabeleça as 51 comissões provisórias municipais do partidos, formalizadas pela ministra Kátia Abreu, enquanto esteve à frente da Comissão Interventora; Derval de Paiva foi chamado em Brasília para ouvir a determinação de que o acordo fosse cumprido; "Ele está colocando o partido em rota de colisão com uma Ministra de Estado e comigo, que sou deputado federal e ex-governador", afirmou o deputado Carlos Gaguim, aliado de Kátia (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - O presidente estadual do PMDB, Derval de Paiva, tem o prazo até a próxima segunda-feira, 17, para restabelecer as indicações das 51 comissões provisórias municipais do partidos, formadas pela ministra Kátia Abreu, durante o período em que foi presidente da Comissão Interventora do partido. O prazo foi dado pela Executiva Nacional.

Segundo o deputado federal Carlos Gaguim (PMDB), Derval de Paiva foi chamado em Brasília para ouvir a determinação de que o acordo seja cumprido. "Ele havia dito para o Michel que cumpriria, mas não cumpriu. Ele está colocando o partido em rota de colisão com uma Ministra de Estado e comigo, que sou deputado federal e ex-governador", afirmou o deputado ao T1 Notícias (leia aqui).

Derval de Paiva assumiu o comando do PMDB como fruto de acordo mediado pela Executiva Nacional para pacificar o partido na divisão interna entre o grupo liderado pela ministra Kátia Abreu e o grupo ligado ao governador Marcelo Miranda. Apesar do acordo, no dia 3 de julho, Derval assinou resolução que suspendeu as convenções realizadas por 51 comissões provisórias, nomeadas pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu.

Segundo o argumento de Derval de Paiva, as convenções "não foram homologadas pelo diretório estadual, bem como as que foram realizadas a partir desta data". A resolução ainda determina a convocação de uma comissão para análise de cada comissão provisória, individualmente, mas não define datas ou nomes. 

Após articulação de Kátia junto ao vice Michel Temer, a determinação é para que as comissões sejam recompostas, mantendo o acordo inicial.

Leia também: Derval suspende comissões nomeadas por Kátia

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email