PMDB: há 25 dias sem presidente e sem rumo

Briga entre o deputado federa Daniel Vilela e o ex-governador Iris Rezende pelo comando da legenda mergulhou o PMDB numa crise sem precedentes em sua história; deputado foi à Justiça e liminar paralisou a eleição para o diretório; aabe agora à direção nacional indicar uma comissão provisória; em entrevista ao Jornal Opção, Daniel Vilela disse não estar arrependido de ter entrado na Justiça, revelou que saiu fortalecido do imbróglio e disse que houve manobra para que ele não assumisse o partido; “Aqueles que tiveram suas vontades contrariadas dizem que eu enfraqueci dentro do partido, mas tenho um feedback que mostra o contrário. Saí fortalecido da disputa"

Briga entre o deputado federa Daniel Vilela e o ex-governador Iris Rezende pelo comando da legenda mergulhou o PMDB numa crise sem precedentes em sua história; deputado foi à Justiça e liminar paralisou a eleição para o diretório; aabe agora à direção nacional indicar uma comissão provisória; em entrevista ao Jornal Opção, Daniel Vilela disse não estar arrependido de ter entrado na Justiça, revelou que saiu fortalecido do imbróglio e disse que houve manobra para que ele não assumisse o partido; “Aqueles que tiveram suas vontades contrariadas dizem que eu enfraqueci dentro do partido, mas tenho um feedback que mostra o contrário. Saí fortalecido da disputa"
Briga entre o deputado federa Daniel Vilela e o ex-governador Iris Rezende pelo comando da legenda mergulhou o PMDB numa crise sem precedentes em sua história; deputado foi à Justiça e liminar paralisou a eleição para o diretório; aabe agora à direção nacional indicar uma comissão provisória; em entrevista ao Jornal Opção, Daniel Vilela disse não estar arrependido de ter entrado na Justiça, revelou que saiu fortalecido do imbróglio e disse que houve manobra para que ele não assumisse o partido; “Aqueles que tiveram suas vontades contrariadas dizem que eu enfraqueci dentro do partido, mas tenho um feedback que mostra o contrário. Saí fortalecido da disputa" (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O PMDB goiano completa 25 dias sem presidente e o maior partido de oposição no Estado não tem rumo definido. A briga entre o deputado federa Daniel Vilela e o ex-governador Iris Rezende pelo comando da legenda mergulhou o PMDB numa crise sem precedentes em sua história.

Daniel acredita ser o símbolo da renovação e quer guiar o partido até 2018, quando pretende ser candidato ao governo do Estado. O filho do prefeito Maguito Vilela acredita que o ciclo de poder de Iris já se encerrou e agora é preciso oxigenar o partido. Iris, que há 30 anos manda no PMDB, mostra apetite e fez de tudo para que Daniel não assumisse a direção estadual. Foi aí que a guerra se intensificou.

O deputado foi à Justiça e uma liminar paralisou a eleição para o diretório. Cabe agora à direção nacional indicar uma comissão provisória. Em entrevista ao Jornal Opção, Daniel Vilela disse não estar arrependido de ter entrado na Justiça, revelou que saiu fortalecido do imbróglio e disse que houve manobra para que ele não assumisse o partido.

“Aqueles que tiveram suas vontades contrariadas dizem que eu enfraqueci dentro do partido, mas tenho um feedback que mostra o contrário. Saí fortalecido da disputa", disse.

O ex-prefeito Iris Rezende evita comentar o assunto publicamente, mas nos bastidores todos sabem que ele não vai entregar o partido facilmente para Daniel. Iris pretende ser candidato a prefeito de Goiânia aos 82 anos.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247