PMDB: Quintão retira candidatura e apoiará Picciani como líder

Com a retirada do deputado Leonardo Quintão (MG), Leonardo Picciani (RJ) disputará a liderança com o deputado Hugo Motta (PB), que é próximo do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); Quintão havia lançado sua candidatura, em oposição a Picciani, mesmo sem o consenso da bancada mineira do partido; o deputado mineiro chegou a ser o líder na Casa por oito dias no final de 2015

Com a retirada do deputado Leonardo Quintão (MG), Leonardo Picciani (RJ) disputará a liderança com o deputado Hugo Motta (PB), que é próximo do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); Quintão havia lançado sua candidatura, em oposição a Picciani, mesmo sem o consenso da bancada mineira do partido; o deputado mineiro chegou a ser o líder na Casa por oito dias no final de 2015
Com a retirada do deputado Leonardo Quintão (MG), Leonardo Picciani (RJ) disputará a liderança com o deputado Hugo Motta (PB), que é próximo do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ); Quintão havia lançado sua candidatura, em oposição a Picciani, mesmo sem o consenso da bancada mineira do partido; o deputado mineiro chegou a ser o líder na Casa por oito dias no final de 2015 (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - O deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) retirou nesta sexta-feira sua candidatura à liderança do partido na Câmara dos Deputados e apoiará a recondução do atual líder da bancada peemedebista, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), informou a assessoria do parlamentar mineiro.

Quintão havia lançado sua candidatura à liderança do PMDB, em oposição a Picciani, mesmo sem o consenso da bancada mineira do partido. O deputado mineiro chegou a ser o líder peemedebista na Casa por oito dias no final de 2015, após um movimento de dissidentes que destituiu Picciani do posto, rapidamente revertido pelo deputado fluminense.

Com a retirada de Quintão, Picciani disputará a liderança com o deputado Hugo Motta (PB), que é próximo do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um desafeto declarado do governo da presidente Dilma Rousseff.

Motta, no entanto, minimizou a proximidade com Cunha, responsável por aceitar um pedido de abertura de processo de impeachment contra Dilma, e prometeu buscar a unidade da bancada.

O racha na bancada do PMDB ficou evidente no final do ano passado, quando dissidentes do partido descontentes com as indicações de Picciani para a comissão especial que analisará o pedido de abertura de impeachment contra a presidente se aliaram à oposição e elaboraram uma lista alternativa. Essa lista saiu vitoriosa na eleição para a comissão, posteriormente anulada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Após o episódio, os dissidentes conseguiram destituir Picciani da liderança, colocando Quintão em seu lugar. O atual líder, no entanto, retomou o posto somente oito dias depois.

Na semana passada, o Planalto sondou o deputado Mauro Lopes (PMDB-MG) para ocupar o ministério da Aviação Civil, em uma manobra para esvaziar a candidatura de Quintão. Lopes confirmou a sondagem e disse que, se convidado, aceitaria o posto. [nL2N14W2PK]

Após a sondagem, no entanto, a disputa pela liderança do PMDB ganhou novos desdobramentos, como a entrada de Motta na disputa, e até agora o convite oficial a Lopes não ocorreu.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247