Polícia Civil desarticula três quadrilhas do tráfico de drogas

Polícia Civil desarticulou nesta terça-feira três associações criminosas responsáveis por traficar drogas em Goiânia e Aparecida de Goiânia; ação foi coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) e durou cerca de três meses, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, além de 12 de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva na capital, em Aparecida de Goiânia e em Uruaçu, no norte do Estado; uma das organizações fornecia maconha e cocaína para pessoas de alto poder aquisitivo e distribuía esses entorpecentes principalmente em academias de bairros nobres da capital

Polícia Civil desarticulou nesta terça-feira três associações criminosas responsáveis por traficar drogas em Goiânia e Aparecida de Goiânia; ação foi coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) e durou cerca de três meses, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, além de 12 de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva na capital, em Aparecida de Goiânia e em Uruaçu, no norte do Estado; uma das organizações fornecia maconha e cocaína para pessoas de alto poder aquisitivo e distribuía esses entorpecentes principalmente em academias de bairros nobres da capital
Polícia Civil desarticulou nesta terça-feira três associações criminosas responsáveis por traficar drogas em Goiânia e Aparecida de Goiânia; ação foi coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) e durou cerca de três meses, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, além de 12 de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva na capital, em Aparecida de Goiânia e em Uruaçu, no norte do Estado; uma das organizações fornecia maconha e cocaína para pessoas de alto poder aquisitivo e distribuía esses entorpecentes principalmente em academias de bairros nobres da capital (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - A Polícia Civil desarticulou nesta terça-feira (18/10) três associações criminosas responsáveis por traficar drogas em Goiânia e Aparecida de Goiânia. A ação foi coordenada pela Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) e durou cerca de três meses, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, além de 12 de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva na capital, em Aparecida de Goiânia e em Uruaçu, no norte do Estado.

De acordo com informações do delegado Vinícius Teles, titular da Denarc, uma das organizações fornecia maconha e cocaína para pessoas de alto poder aquisitivo e distribuía esses entorpecentes principalmente em academias de bairros nobres da capital.
George Albert de Araújo, de 34 anos, é apontado como responsável por distribuir essa droga. Ele foi preso em seu apartamento no Setor Bueno.

No local, a polícia encontrou cerca de oito quilos de maconha, uma arma de fogo, munições e uma caminhonete Toyota, modelo Hilux. Segundo o delegado, George é proprietário de uma loja de veículos no Setor Aeroporto.

“Essas associações surgiram no âmbito da mesma investigação e, apesar de não serem efetivamente todas ligadas, realizavam contatos entre si eventualmente”, explicou Vinícius. Um advogado, que não teve o nome divulgado, foi conduzido coercitivamente para delegacia, ele prestou depoimento e foi liberado. A polícia disse que ele é usuário de drogas e cliente de George. O delegado ressaltou que são traficantes de médio porte na capital. Já em Uruaçu o suspeito é considerado de grande porte.

No município de Uruaçu, a polícia prendeu Walisson de Brito Silva, de 28 anos, apontado como líder da quadrilha que comandava a distribuição de drogas no Norte do estado, nos municípios de Uruaçu, Niquelândia e Campinorte. Ele mantinha um laboratório de refino de cocaína e recebia apoio de Daniel Henrique Vidal, de 37, e Jeovane Batista Lira, de 38, para entregar os entorpecentes em Goiânia e Aparecida. Com ele, a polícia também encontrou duas armas de fogo. Durante a apresentação dos suspeitos à imprensa, Walisson ainda se deslocava para capital acompanhado de policiais.

Thiago Bastos de Souza, de 31 anos, já se encontrava detido e, ainda assim, comandava o tráfico de drogas em Goiânia e Aparecida. Para isso, ele contava com suporte da esposa Bruna Cristina Gomes, de 21 anos, e Edson Pacheco da Silva, de 28. “Eles adquiriam principalmente maconha e a Bruna era responsável pela distribuição”, detalhou.
“Pelo menos de 15 a 20 quilos de cocaína eram comercializados por mês pela organização comandada por Walisson”, disse. Em média, R$ 20 mil a 30 mil mensalmente circulava com esse grupo. “Ainda temos uma parte da investigação para concluir e pode ser que outras pessoas surjam”, diz o delegado.

Já Alan Correia de Oliveira, de 36 anos, e seu irmão Valsione Correia de Oliveira, de 46, foram presos em Goiânia. O primeiro integrava uma associação criminosa desarticulada em setembro e também distribuíam drogas em Goiânia e Região Metropolitana. Seu irmão também fazia parte desse grupo e portava um revólver calibre 38.

Além dos oito presos, a polícia apreendeu quatro armas de fogo e 15 quilos de drogas, entre maconha e cocaína. Participaram dessa operação a Denarc com apoio da Delegacia Estadual de Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva), Delegacia Estadual de Investigação Criminal (Deic), Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH), Delegacia de Uruaçu, Grupo Tático da Polícia Civil (GT3) e Superintendência de Execução Penitenciária.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247