Polícia cumpre mandados de busca e apreensão na Assembleia Legislativa

O alvo é o deputado estadual Marquinhos Madeira (PMDB); a Polícia Civil de Alagoas cumpre mandados de busca e apreensão a partir de denúncia feita ao Ministério Público Federal contra o parlamentar, que em 2012 teria apresentado um atestado médico de 130 dias e no mesmo período participou de atividades esportivas na cidade de Maragogi; autorização para a ação policial foi concedida pelo Tribunal de Justiça

O alvo é o deputado estadual Marquinhos Madeira (PMDB); a Polícia Civil de Alagoas cumpre mandados de busca e apreensão a partir de denúncia feita ao Ministério Público Federal contra o parlamentar, que em 2012 teria apresentado um atestado médico de 130 dias e no mesmo período participou de atividades esportivas na cidade de Maragogi; autorização para a ação policial foi concedida pelo Tribunal de Justiça
O alvo é o deputado estadual Marquinhos Madeira (PMDB); a Polícia Civil de Alagoas cumpre mandados de busca e apreensão a partir de denúncia feita ao Ministério Público Federal contra o parlamentar, que em 2012 teria apresentado um atestado médico de 130 dias e no mesmo período participou de atividades esportivas na cidade de Maragogi; autorização para a ação policial foi concedida pelo Tribunal de Justiça (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - A Polícia Civil está cumprindo, na manhã desta quarta-feira (15), mandados de busca e apreensão na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), no Centro de Maceió, contra o deputado Marquinhos Madeira (PMDB). 

Segundo o delegado Denisson Albuquerque, foi feita uma denúncia ao Ministério Público Federal contra o deputado, que em 2012 teria apresentado um atestado médico de 130 dias e no mesmo período participou de atividades esportivas na cidade de Maragogi.

De acordo com o delegado, o MPF alegou não ter competência para tratar o caso já que se tratava de um deputado estadual, por isso, o órgão encaminhou as investigações para o Ministério Público Estadual, que solicitou à Polícia Civil um delegado especial para apurar as irregularidades. 

"Desde 2013 solicito à presidência da casa uma cópia desse atestado e também procuro o deputado para que ele marcasse dia, hora e local para ser ouvido, já que tem foro privilegiado. Nem a presidência e nem o deputado deram a mínima e nunca enviaram os documentos", informou Albuquerque.

O delegado informou ainda que todas as solicitações foram enviadas ao MP, que solicitou o mandado de busca e apreensão e o Tribunal de Justiça autorizou através do vice presidente, João Luiz de Azevedo Lessa. 

Neste momento, a polícia aguarda o chefe de gabinete da ALE, para que as buscas possam ser efetuadas. O deputado é suspeito de prática de estelionato e improbidade administrativa.

Equipes do Tático Integrado de Resgates Especiais (Tigre) e do 7º DP (Distrito Policial), coordenados pelo delegado Denisson Albuquerque estão no local. 

A assessoria de comunicação do deputado Marquinhos Madeira disse que irá se pronunciar através de nota. 

Com gazetaweb.com

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247