Polícia Federal investiga militares do Exército do 2° BEC

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça (27), a operação “Fogo Amigo”, cumprindo mandados de busca e apreensão nas residencias de 11 militares do 2° Batalhão de Engenharia e Construção (BEC) a fim de apreender armas de fogo compradas ilegalmente; segundo a Polícia Federal, a suspeita é que os militares usaram documentos falsos para conseguir as armas, omitindo a condição de militar, pois a aquisição somente poderia ser expedida pela corporação

Polícia Federal Marcelo Camargo / Arquivo Agência Brasil
Polícia Federal Marcelo Camargo / Arquivo Agência Brasil (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Piauí Hoje - A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (27), a operação “Fogo Amigo”, cujo o objetivo é cumprir mandados de busca e apreensão nas residencias de 11 militares temporários do 2° Batalhão de Engenharia e Construção (BEC) a fim de apreender armas de fogo que foram compradas ilegalmente.

Segundo a Polícia Federal, a suspeita é que os militares tenham usado documentos falsos para conseguir as armas como civis e a omissão da condição de militar, cuja autorização para aquisição somente poderia ser expedida pela respectiva corporação militar.

Por meio de nota, a PF informou que o Comando do 2° BEC prestou todas as informações necessárias e colaborou com as investigações. Ainda segundo a PF, os investigados deverão responder pelo crime de uso de documentos falsos.

Os 11 militares investigados deverão responder pelo crime de uso de documentos falsos previsto no artigo 304 do Código Penal Brasileiro.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247