Polícia investiga venda de bebês pela internet

A venda de bebês pela internet está sendo alvo de investigação por parte das autoridades em Pernambuco; as investigações, realizadas conjuntamente pela Polícia Civil, Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e pelo Poder Judiciário, foram iniciadas nesta quarta-feira (31); as denúncias apontam para um esquema de comercialização de crianças através de uma página criada no início de julho na rede social Facebook

Polícia investiga venda de bebês pela internet
Polícia investiga venda de bebês pela internet
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 - A venda de bebês pela internet está sendo alvo de investigação por parte das autoridades em Pernambuco. As investigações, realizadas conjuntamente pela Polícia Civil, Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e pelo Poder Judiciário, foram iniciadas nesta quarta-feira (31). De acordo com o delegado da Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), Ademir de Oliveira, as denúncias apontam para um esquema de comercialização de crianças através de uma página criada no início de julho na rede social Facebook.

Oliveira disse que, a polícia solicitará ao Facebook os diálogos travados entre as supostas mães e os supostos clientes e, a partir daí, verificar se realmente existe algum tipo de prática criminosa. O crime, caso se confirme, está enquadrado no artigo 238 do Estatuto da Criança  e do Adolescente (ECA) e é inafiançável, podendo resultar em até quatro anos de reclusão.

A polícia alerta que o mecanismo legal para adoção é pela via judicial, através da Vara da Criança e do Adolescente. Oliveira cita, ainda, que recentemente, também no Recife, uma mulher tentou comercializar o próprio filho mediante o pagamento de R$ 50 mil. A criança, contudo, nasceu de forma prematura e veio a falecer no último dia 23, após dois meses de internamento em um hospital pernambucano. O caso está sendo investigado pela GPCA.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247