Polícia prende suspeito de envolvimento em morte de jornalista

Polícia Civil de Goiás prendeu na noite de quarta-feira Douglas Ferreira de Morais, de 40 anos, suspeito de participar do assassinato do jornalista João Miranda do Carmo, de 54 anos; Morais era chefe de vigilância da prefeitura de Santo Antônio do Descoberto e foi exonerado na segunda-feira, dia 25; no domingo, Miranda, que atuava em blogs e sites, foi morto em sua casa no bairro Morada Nobre por quatro homens armados que, após rápida abordagem, onde foram disparados 22 tiros

Polícia Civil de Goiás prendeu na noite de quarta-feira Douglas Ferreira de Morais, de 40 anos, suspeito de participar do assassinato do jornalista João Miranda do Carmo, de 54 anos; Morais era chefe de vigilância da prefeitura de Santo Antônio do Descoberto e foi exonerado na segunda-feira, dia 25; no domingo, Miranda, que atuava em blogs e sites, foi morto em sua casa no bairro Morada Nobre por quatro homens armados que, após rápida abordagem, onde foram disparados 22 tiros
Polícia Civil de Goiás prendeu na noite de quarta-feira Douglas Ferreira de Morais, de 40 anos, suspeito de participar do assassinato do jornalista João Miranda do Carmo, de 54 anos; Morais era chefe de vigilância da prefeitura de Santo Antônio do Descoberto e foi exonerado na segunda-feira, dia 25; no domingo, Miranda, que atuava em blogs e sites, foi morto em sua casa no bairro Morada Nobre por quatro homens armados que, após rápida abordagem, onde foram disparados 22 tiros (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - A Polícia Civil de Goiás prendeu na noite de quarta-feira (27) Douglas Ferreira de Morais, de 40 anos, suspeito de participar do assassinato do jornalista João Miranda do Carmo, de 54 anos. Morais era chefe de vigilância da prefeitura de Santo Antônio do Descoberto e foi exonerado na segunda-feira, dia 25.

No domingo, Miranda, que atuava em blogs e sites, foi morto em sua casa no bairro Morada Nobre por quatro homens armados que, após rápida abordagem, onde foram disparados 22 tiros. Miranda usava as redes sociais e sites para criticar políticos, traficantes de drogas e matadores de aluguel na cidade a 50 km de Brasília.

"A gente trabalha com a possibilidade de o homicídio ter como motivação a atividade profissional dele", afirmou o delegado regional de Águas Lindas de Goiás, Fernando Augusto Luiz da Gama. "Tudo esbarra no trabalho de João Miranda, que tinha por alvo a criminalidade comum e o meio político", completou. "Ainda é muito incipiente falar sobre o exato motivo do crime."

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247