Pompeo de Mattos: PDT deve deixar o governo Sartori

O presidente do PDT-RS, deputado federal Pompeo de Mattos, admitiu que a tendência é o partido deixar a base do governador José Ivo Sartori; “Como nós vamos ficar no governo? Seria uma certa incongruência, já que nós temos candidato ao governo”, disse Pompeo, em referência à provável candidatura de Jairo Jorge ao governo estadual em 2018 - o pré-candidato deixou o PT e ingressou foi para o PDT no final do ano passado; Mattos também disse que o PDT está “entusiasmado” com a candidatura de Ciro Gomes à presidência em 2018;segundo ele, desde Brizola, o partido não se unia tanto entorno de um nome

O presidente do PDT-RS, deputado federal Pompeo de Mattos, admitiu que a tendência é o partido deixar a base do governador José Ivo Sartori; “Como nós vamos ficar no governo? Seria uma certa incongruência, já que nós temos candidato ao governo”, disse Pompeo, em referência à provável candidatura de Jairo Jorge ao governo estadual em 2018 - o pré-candidato deixou o PT e ingressou foi para o PDT no final do ano passado; Mattos também disse que o PDT está “entusiasmado” com a candidatura de Ciro Gomes à presidência em 2018;segundo ele, desde Brizola, o partido não se unia tanto entorno de um nome
O presidente do PDT-RS, deputado federal Pompeo de Mattos, admitiu que a tendência é o partido deixar a base do governador José Ivo Sartori; “Como nós vamos ficar no governo? Seria uma certa incongruência, já que nós temos candidato ao governo”, disse Pompeo, em referência à provável candidatura de Jairo Jorge ao governo estadual em 2018 - o pré-candidato deixou o PT e ingressou foi para o PDT no final do ano passado; Mattos também disse que o PDT está “entusiasmado” com a candidatura de Ciro Gomes à presidência em 2018;segundo ele, desde Brizola, o partido não se unia tanto entorno de um nome (Foto: Leonardo Lucena)

Rio Grande do Sul 247 - O presidente do PDT-RS, deputado federal Pompeo de Mattos, admitiu que a tendência é o partido deixar a base do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori. A expectativa é que os pedetistas tomem uma decisão definitiva em abril.

“Como nós vamos ficar no governo? Seria uma certa incongruência, já que nós temos candidato ao governo”, disse Pompeo, em referência à provável candidatura de Jairo Jorge ao governo estadual em 2018 - o pré-candidato deixou o PT e ingressou foi para o PDT no final do ano passado.

Mattos ressaltou que o provável desembarque da gestão Sartori não significa a ida do partido para a oposição na Assembleia Legsialtiva. “Nossa relação com o governo Sartori é fraterna”, disse Mattos, em coletiva de imprensa com a imprensa ao final da reunião da Bancada Federal Gaúcha com o governador José Ivo Sartori (PMDB).

Um dos principais motivos para as divergências entre o PDT e o governo Sartori foi o “pacotaço” encaminhado para a Assembleia no final do ano passado. Entre as medidas, estão a privatização de estatais, que não foi votada, e a extinção de noive fundações, que teve rejeição da maioria dos parlamentares da legenda pedetista.

O presidente do PDT-RS afirmou que o partido não aceitará incluir a venda de ativos na negociação da adesão do Rio Grande do Sul ao Plano de Recuperação Fiscal. Por meio do projeto, o estado espera suspender o pagamento da dívida por três anos.

Segundo Mattos, o PDT está “entusiasmado” com a candidatura de Ciro Gomes à presidência em 2018. O dirigente afirmou que, desde Brizola, o partido não se unia tanto entorno de um nome. Em 2006, Cristovam Buarque, hoje no PPS, se candidatou à presidência pelo PDT.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247