‘Por que regulamentar mototáxi e o Uber não?’

Diante da 'polêmica' sobre a regulamentação da atividade de mototaxista, o vereador José Trindade (PSL) questiona por que não liberar também o serviço de transporte privado Uber, que provoca ira dos taxistas; "Porque regulamentação do mototáxi e não do Uber?", questiona Trindade; ele afirma que "as duas atividades são importantes para melhorar o sistema de mobilidade e ampliar a geração de renda e emprego em Salvador", que segundo ele, leva o título de "capital do desemprego", e complementa que proibir o Uber "é arcaico"

Diante da 'polêmica' sobre a regulamentação da atividade de mototaxista, o vereador José Trindade (PSL) questiona por que não liberar também o serviço de transporte privado Uber, que provoca ira dos taxistas; "Porque regulamentação do mototáxi e não do Uber?", questiona Trindade; ele afirma que "as duas atividades são importantes para melhorar o sistema de mobilidade e ampliar a geração de renda e emprego em Salvador", que segundo ele, leva o título de "capital do desemprego", e complementa que proibir o Uber "é arcaico"
Diante da 'polêmica' sobre a regulamentação da atividade de mototaxista, o vereador José Trindade (PSL) questiona por que não liberar também o serviço de transporte privado Uber, que provoca ira dos taxistas; "Porque regulamentação do mototáxi e não do Uber?", questiona Trindade; ele afirma que "as duas atividades são importantes para melhorar o sistema de mobilidade e ampliar a geração de renda e emprego em Salvador", que segundo ele, leva o título de "capital do desemprego", e complementa que proibir o Uber "é arcaico" (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Diante da 'polêmica' sobre a regulamentação da atividade de mototaxista, que deve votada nesta quarta-feira na Câmara Municipal, o vereador José Trindade (PSL) questiona por que não liberar também o serviço de transporte privado Uber, que provoca ira dos taxistas. "Porque regulamentação do mototáxi e não do Uber?", questiona Trindade.

Ele afirma que "as duas atividades são importantes para melhorar o sistema de mobilidade e ampliar a geração de renda e emprego em Salvador", que segundo ele, leva o título de "capital do desemprego".

O vereador diz que quando o Uber começou a operar em Salvador, no início deste mês, ACM Neto mandou apreender os veículos, alegando clandestinidade. "Agora se era por conta de ilegalidade, por que nunca mandou apreender uma moto? Certamente porque se trata também de uma preocupação eleitoral; o prefeito não se importa com a cidade, mas com o que ele pode tirar dela, de qualquer forma", diz o parlmentar.

Trindade destaca que o Uber já funciona em mais de 400 cidades de 70 países. No Brasil, capitais como Rio de Janeiro, Curitiba, Recife, Porto Alegre, Goiânia, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília já oferecem o serviço aos cidadãos. "Não regulamentar o Uber é extremamente arcaico", diz vereador.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email