Porta dos Fundos: PF investiga fraudes no concurso do TRT

Deflagrada pela Polícia Federal em Alagoas, Roraima e no Amazonas, a Operação Porta dos Fundos teve por finalidade o cumprimento de medidas cautelares probatórias para apurar um esquema de fraude no concurso para provimento de cargos de analista e técnico do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região; foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva; provas do concurso foram aplicadas no começodeste ano e as investigações foram iniciadas após provocação da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso

Deflagrada pela Polícia Federal em Alagoas, Roraima e no Amazonas, a Operação Porta dos Fundos teve por finalidade o cumprimento de medidas cautelares probatórias para apurar um esquema de fraude no concurso para provimento de cargos de analista e técnico do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região; foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva; provas do concurso foram aplicadas no começodeste ano e as investigações foram iniciadas após provocação da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso
Deflagrada pela Polícia Federal em Alagoas, Roraima e no Amazonas, a Operação Porta dos Fundos teve por finalidade o cumprimento de medidas cautelares probatórias para apurar um esquema de fraude no concurso para provimento de cargos de analista e técnico do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região; foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva; provas do concurso foram aplicadas no começodeste ano e as investigações foram iniciadas após provocação da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - A operação Porta dos Fundos, deflagrada pela Polícia Federal em Alagoas e em outros dois estados nesta sexta-feira (15), teve por finalidade o cumprimento de medidas cautelares probatórias para apurar um esquema de fraude no concurso para provimento de cargos de analista e técnico do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região. Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão e outros seis de condução coercitiva no Amazonas, em Roraima e em Alagoas. 

Os investigados respondem pelos crimes de constituição de organização criminosa (art. 2º da Lei nº.12.850), associação criminosa (art. 288 do CP) e fraude em certame de interesse público (art. 311-A do CP).

As provas do concurso do TRT 11ª foram aplicadas em 19/02/17, nos turnos da manhã (Técnico Judiciário) e tarde (Analista Judiciário), nas cidades de Manaus/AM e Boa Vista/RR. As investigações iniciaram na Superintendência Regional da PF no Amazonas em abril de 2017, mediante provocação da Fundação Carlos Chagas, organizadora do concurso.

No decorrer das investigações, apurou-se o possível envolvimento da organização criminosa investigada na Operação Gabarito, da Polícia Civil da Paraíba.

Além dos integrantes da organização criminosa, foram identificados ainda 5 (cinco) candidatos supostamente beneficiados pelo esquema: 3 candidatos estão classificados nos cargos de técnico e analista judiciário - área administrativa e outros 2 candidatos estão classificados no cargo de técnico judiciário - área administrativa.

"Porta dos Fundos" é a expressão popular utilizada para designar uma atividade ou ação que queira ser escondida ou que seja de natureza escusa. Ao tentarem adentrar no serviço público de forma irregular, os envolvidos remetem à ideia ilustrativa de um acesso irregular a um local, indicando, portanto, uma entrada pela porta dos fundos.

A Polícia Federal esclarece que não foram identificados indícios de participação de funcionários/servidores da Fundação Carlos Chagas ou do TRT 11ª Região no esquema fraudulento.

Com gazetaweb.com e assessoria

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247