Pós-férias no azul

É muito natural que as pessoas gastem mais nas férias, mas é preciso fazer tudo de maneira consciente e de olho no orçamento

Pós-férias no azul
Pós-férias no azul
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Mulheres em Ação - Chegou o começo de ano, sinônimo de férias escolares. Para quem tem filhos, invariavelmente há aumento nos gastos familiares, seja com os custos típicos de uma viagem, seja com as despesas domésticas e alternativas de lazer para quem fica em casa.

Quem optou por viajar, mesmo que tenha planejado os custos com transporte, hospedagem e passeios, também está sujeito a imprevistos. Por isso, é bom sempre ter uma reserva. Além disso, não é porque está em férias que deve descuidar das despesas mensais já adquiridas. Quem fica em casa, perceberá aumento na conta do supermercado, no consumo de energia com mais banhos, tevê, computador e videogame ligados o dia todo. É, minha amiga: para passar o tempo gasta-se mais.

Independe da escolha feita, se tudo estiver dentro de um planejamento e se ele estiver dentro dos ganhos, sem comprometer o pagamento de outras dívidas, tudo bem. Mas nem sempre é isso que acontece e é comum famílias encerrarem as férias no vermelho e com as finanças prejudicadas logo depois de ter pulado as sete ondinhas.

Férias é tempo de relaxar. Mas, para ficar de papo para o ar, não se pode dar folga ao controle dos gastos. É preciso planejamento, principalmente financeiro. Sem isso, você até pode curtir as férias, mas corre o risco de ter dor de cabeça quando ver o saldo bancário ao fim da temporada de descanso. Se não tem dinheiro para fazer o que sonhou para essas férias, se contente com diversões que caibam em seu orçamento e comece já a planejar a realização de sua tão sonhada temporada futura de descanso e diversão.

Mesmo quem fez um planejamento com antecedência também deve tomar alguns cuidados, como detalhar os gastos convencionais e os de viagem. É fundamental ainda procurar programas e destinos turísticos compatíveis com a renda. Decida junto com a família um roteiro dentro dessa realidade, explicando os motivos das limitações dos gastos.

Outro cuidado deve ser com os abusos com cheque especial e cartão de crédito nesse período. Na ânsia de aproveitar ao máximo são abertas algumas concessões, o famoso "gasto agora depois dou um jeito". O uso descontrolado terá como efeito o endividamento com juros muito altos. Há também os excessos com a conta de telefone. Resuma os contatos apenas ao necessário. Deixe para se aprofundar nas histórias da viagem quando voltar.

Sempre há alternativas para diversão mais barata. Explorar o que a própria cidade onde se vive oferece pode surpreender. Passeios em parques públicos, zoológicos, espaços culturais gratuitos garantem a diversão da garotada e da família sem comprometer o orçamento.

Se já está endividada, calma. Você poderá utilizar os primeiros meses do ano para colocar as contas em ordem e planejar uma estratégia para que possa garantir diversão e tranquilidade nas próximas férias. Ou seja, privar-se hoje poderá gerar benefícios no futuro.

Não deixe de aproveitar a vida e não associe isso necessariamente ao dinheiro. O importante é sempre ter em mente que a diversão não depende apenas do dinheiro, mas sim das pessoas que estão conosco nesses momentos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email