PR baiano refuta submissão de César Borges a Belchior

"Não existe isso. Quem vai mandar na pasta é o ministro César Borges. Jamais uma colega iria se intrometer no comando de outro ministério", afirma o presidente do PR na Bahia, deputado José Rocha; mas pelos corredores da Esplanada dos Ministérios persiste a aposta de que César será um mero 'representante' da pasta; coluna de Cláudio Humberto insiste que Belchior é quem dará as cartas e se refere ao baiano como "um fantoche"

PR baiano refuta submissão de César Borges a Belchior
PR baiano refuta submissão de César Borges a Belchior
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247

O presidente do PR na Bahia, deputado José Rocha, rechaça a informação de que o correligionário César Borges será ministro dos Transportes apenas para acalmar o partido e que a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, daria as cartas na pasta, e garante que os republicanos estão satisfeitos com a escolha da presidente Dilma Rousseff.

"Não existe isso. Quem vai mandar na pasta é o ministro César Borges. Jamais uma colega iria se intrometer no comando de outro ministério. César Borges é uma pessoa com currículo, capacitada e vai fazer um grande trabalho à frente do ministério", disse Rocha em entrevista ao site Política Livre.

O líder republicano negou veementemente a possibilidade de César ter intenção de se projetar para lançar candidatura a senador ou a governador da Bahia em 2014 e disse que sua missão à frente do Ministério dos Transportes, assim como de todo o PR, é a de ajudar a presidente a tocar as importantes obras atinentes à pasta nesta reta final de governo, inclusive na Bahia.

"Ele (César Borges) fica até o final. Falta pouco mais de um ano e ele vai se dedicar a apoiar a Bahia através de obras e projetos. No discurso de posse o ministro já se comprometeu a acelerar as obras de duplicação da BR 101 e 116, além de destravar a ferrovia Oeste-Leste", explicou.

E para fechar a conta, José Rocha confirmou que muito em breve o PR passará a integrar a já inchada base do governo Jaques Wagner na Assembleia Legislativa. "Estamos caminhando para uma grande unidade dentro do partido para uma aliança definitiva com o governador Wagner e a presidente Dilma".

Para se ter ideia da dimensão do problema, o líder da oposição ao governo é o ferrenho Elmar Nascimento, que é exatamente do PR. Ele e Sandro Régis afirmam desde o início do namoro, no ano passado, que deixam o partido se ele passar para a base de Wagner. Os republicanos são representados por quatro deputados na Assembleia baiana.

Mas pelos corredores da Esplanada dos Ministérios, persiste a aposta de que o baiano César Borges será um mero 'representante' do Ministério dos Transportes em nível oficial. A coluna de Cláudio Humberto insiste que a ministra Miriam Belchior é quem dará as cartas. Abaixo duas notas postadas hoje na coluna.

Dilma reitera que pouco mudará nos Transportes

Na posse de Cesar Borges (Transportes), ontem, a presidenta Dilma deixou de lado o traquejo político e retirou o que havia solicitado ao novo ministro, isto é, "um diagnóstico" do DNIT e da Valec para decidir se mudaria atuais dirigentes. Jogando um balde de água fria no PR, que já planejava o loteamento dos órgãos vinculados ao ministério, ela afirmou que há um "time muito mais afinado" no DNIT e na Valec.

Um fantoche

Ao discursar, Dilma deixou claro: a gestora do PAC, ministra Miriam Belchior (Planejamento) continuará definindo gastos nos Transportes.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email