Prefeita é denunciada por custear propaganda eleitoral com verba do SUS

O Ministério Público Federal em Feira de Santana ajuizou ação de improbidade administrativa contra a prefeita de Governador Mangabeira, Domingas Souza da Paixão, por utilizar verbas do SUS na confecção e manutenção de um outdoor com propaganda de um candidato a senador; o outdoor sinalizava a construção da Unidade Saúde da Família Otto Alencar, então candidato a senador, e estava afixado na entrada da cidade, às margens da BR-116, rodovia com alto fluxo de veículos

O Ministério Público Federal em Feira de Santana ajuizou ação de improbidade administrativa contra a prefeita de Governador Mangabeira, Domingas Souza da Paixão, por utilizar verbas do SUS na confecção e manutenção de um outdoor com propaganda de um candidato a senador; o outdoor sinalizava a construção da Unidade Saúde da Família Otto Alencar, então candidato a senador, e estava afixado na entrada da cidade, às margens da BR-116, rodovia com alto fluxo de veículos
O Ministério Público Federal em Feira de Santana ajuizou ação de improbidade administrativa contra a prefeita de Governador Mangabeira, Domingas Souza da Paixão, por utilizar verbas do SUS na confecção e manutenção de um outdoor com propaganda de um candidato a senador; o outdoor sinalizava a construção da Unidade Saúde da Família Otto Alencar, então candidato a senador, e estava afixado na entrada da cidade, às margens da BR-116, rodovia com alto fluxo de veículos (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O Ministério Público Federal (MPF) em Feira de Santana ajuizou ação de improbidade administrativa contra a prefeita do município de Governador Mangabeira, Domingas Souza da Paixão (PT), por utilizar verbas do SUS na confecção e manutenção de um outdoor com propaganda de um candidato a senador.

O outdoor sinalizava a construção da Unidade Saúde da Família Otto Alencar, então candidato a senador, e estava afixado na entrada da cidade, às margens da BR-116, rodovia com alto fluxo de veículos.

Acionada pelo Ministério Público Eleitoral, Domingas já foi condenada pelo Tribunal Regional Eleitoral na Bahia (TRE/BA) ao pagamento de multa por propaganda institucional, em favor de candidato, em período vedado.

O MPF requer agora que a gestora do município, localizado a 138 km de Salvador, responda por improbidade administrativa por utilizar recursos que deveriam ser aplicados em ações de saúde em fim diverso do previsto em lei, conforme o artigo 11, inciso I, da Lei 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa).

Com a ação, a prefeita está sujeita as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa, que incluem perda da função pública e dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, ressarcimento ao erário, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa civil, proibição de contratar com o poder público e dele receber benefício.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email