Prefeito diz que jogos indígenas deixarão obras permanentes

Carlos Amastha anunciou que no próximo dia 29, a Prefeitura de Palmas fará em Brasília um evento para todos os embaixadores de países com povo indígenas, para apresentar o projeto da Capital do Tocantins para os jogos indígenas. "Queremos que todos os embaixadores, e também todos os organismos internacionais entendam o que vai acontecer em Palmas em 2015", disse Amastha; a confirmação de Palmas como sede dos Jogos Mundiais Indígenas foi feita nessa terça-feira, 14, pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo

Carlos Amastha anunciou que no próximo dia 29, a Prefeitura de Palmas fará em Brasília um evento para todos os embaixadores de países com povo indígenas, para apresentar o projeto da Capital do Tocantins para os jogos indígenas. "Queremos que todos os embaixadores, e também todos os organismos internacionais entendam o que vai acontecer em Palmas em 2015", disse Amastha; a confirmação de Palmas como sede dos Jogos Mundiais Indígenas foi feita nessa terça-feira, 14, pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo
Carlos Amastha anunciou que no próximo dia 29, a Prefeitura de Palmas fará em Brasília um evento para todos os embaixadores de países com povo indígenas, para apresentar o projeto da Capital do Tocantins para os jogos indígenas. "Queremos que todos os embaixadores, e também todos os organismos internacionais entendam o que vai acontecer em Palmas em 2015", disse Amastha; a confirmação de Palmas como sede dos Jogos Mundiais Indígenas foi feita nessa terça-feira, 14, pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira, 15, e falou sobre a expectativa em sediar os Jogos Mundiais Indígenas. O anúncio oficial sobre a decisão do Ministério do Esporte e do Comitê Intertribal sobre a sede acontece dia 19 de abril, mas o ministro do Esporte, Aldo Rebêlo, confirmou nessa terça-feira, 14, que Palmas foi a cidade escolhida para sediar os jogos que acontecerão em junho de 2015.

O prefeito afirmou que no próximo dia 29 a Prefeitura de Palmas fará em Brasília um evento para todos os embaixadores de países com povo indígenas, para apresentar o projeto da Capital do Tocantins para os jogos indígenas. "Queremos que todos os embaixadores, e também todos os organismos internacionais entendam o que vai acontecer em Palmas em 2015", disse Amastha.

Colocando a boa vontade como ponto forte da candidatura de Palmas, o prefeito Carlos Amastha destacou o trabalho em equipe como base da elaboração do projeto da candidatura de Palmas e a diversidade cultural da cidade. “Sempre tivemos a certeza de que nosso projeto era disparado o melhor. Estivemos em Cuiabá acompanhando os jogos nacionais e lá já percebemos que todos os fatores estavam a nosso favor. Porque geograficamente ninguém poderia concorrer com a gente, na nossa localização estratégica. Ninguém tem esse lago maravilhoso e temos ainda o ribeirão Taquaruçu”, disse o prefeito, lembrando que as exigências do projeto em relação a hotelaria, por exemplo, estão dentro da capacidade da Capital. O gestor pontuou ainda a importância da união da classe política do estado, convergindo para que Palmas pudesse sediar os Jogos.  

O presidente da Fundação Municipal de Esportes e Lazer, Cleyton Alen, destacou a importância do pioneirismo da cidade de Palmas na realização dos Jogos. “É um momento único pra cidade, a gente tem a possibilidade de realizar esse mega evento. Vai deixar um grande legado pra cidade, nós vamos conseguir consolidar nossa Vila Olímpica e vamos ser a única cidade do mundo a ter legados das Olimpíadas, da Copa, e dos Jogos Mundiais”, pontuou.

A representante dos povos indígenas do Tocantins no Conselho Intertribal, Joana Munduruku, destacou a alegria de ver na Capital indígenas de todos os cantos do Brasil e de várias partes do mundo, e ressaltou o fato da diversidade cultural de Palmas. "É uma honra Palmas poder receber os nossos irmãos de 22 etnias. Todos que estamos em torno de nós na Amaérica Latica temos origem indígena. Todos os povos que formavam os povos da América Latina e América do Sul são de origem indígena", afirmou. 

O projeto apresentado pela Prefeitura tem o lago como o cenário do projeto, que prevê a criação de uma nova praia logo após a Praia do Caju, que terá a caracterização indígena e cuja estrutura será aproveitada turisticamente mesmo após o evento. Será ainda um novo cartão postal da cidade.

Em forma de estrela, está projetada a Aldeia que será a casa dos indígenas durante a realização do evento, e será instalada às margens do ribeirão Taquaruçu, que deságua no Lago. O projeto estrutural prevê ainda a Grande Arena, para a realização dos jogos, Campo de Beisebol, Museu, entre outros.

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247