Prefeito é preso em operação da PF no TO

O prefeito de Goiatins, Vinicius Donnover Gomes, e a mulher dele foram presos durante a Operação Bagration da Polícia Federal; eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa que atuava no desvio de recursos públicos; a suspeita é que os prejuízos causados aos cofres da União sejam de aproximadamente R$ 10 milhões, segundo a PF, que atua no caso porque os recursos supostamente desviados são federais; os membros do grupo são suspeitos de falsificar contracheques de servidores conhecidos como "laranjas", os quais eram utilizados para a obtenção de empréstimos consignados perante Instituições financeiras

O prefeito de Goiatins, Vinicius Donnover Gomes, e a mulher dele foram presos durante a Operação Bagration da Polícia Federal; eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa que atuava no desvio de recursos públicos; a suspeita é que os prejuízos causados aos cofres da União sejam de aproximadamente R$ 10 milhões, segundo a PF, que atua no caso porque os recursos supostamente desviados são federais; os membros do grupo são suspeitos de falsificar contracheques de servidores conhecidos como "laranjas", os quais eram utilizados para a obtenção de empréstimos consignados perante Instituições financeiras
O prefeito de Goiatins, Vinicius Donnover Gomes, e a mulher dele foram presos durante a Operação Bagration da Polícia Federal; eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa que atuava no desvio de recursos públicos; a suspeita é que os prejuízos causados aos cofres da União sejam de aproximadamente R$ 10 milhões, segundo a PF, que atua no caso porque os recursos supostamente desviados são federais; os membros do grupo são suspeitos de falsificar contracheques de servidores conhecidos como "laranjas", os quais eram utilizados para a obtenção de empréstimos consignados perante Instituições financeiras (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - O prefeito de Goiatins, Vinicius Donnover Gomes, e a mulher dele foram presos, nesta quarta-feira (27), durante a Operação Bagration da Polícia Federal. Eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa que atuava no desvio de recursos públicos. A suspeita é que os prejuízos causados aos cofres da União sejam de aproximadamente R$ 10 milhões, segundo a PF. A polícia informou que 110 agentes cumprem 60 mandados judiciais no Tocantins e no Maranhão - nove são de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 17 de busca e apreensão, 28 de condução coercitiva, 12 de arresto de bens imóveis e bloqueio de ativos e seis de sequestro de gado [retenção de algo, por ordem judicial, quando houver dúvida sobre a origem desse bem], em Goiatins, Guaraí, Araguaína, Itacajá, Palmas e Carolina (MA), no povoado de Helenópolis.

De acordo com as investigações, o grupo tem como integrantes o prefeito da cidade de Goiatins, a primeira-dama, secretários da Fazenda, da Saúde, de Recursos Humanos, contadores, dentre outros servidores. A polícia disse que eles são suspeitos de falsificar contracheques de servidores conhecidos como "laranjas", os quais eram utilizados para a obtenção de empréstimos consignados perante Instituições financeiras.

Na maioria dos contracheques falsificados constava o cargo de professor de nível fundamental, e os salários eram pagos com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A Polícia Federal está atuando no caso porque os recursos supostamente desviados são federais.

A PF disse que foram constatados diversos crimes praticados, como desvio de recursos públicos, crimes eleitorais, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, e fraudes em licitações. Segundo a PF, a organização atua desde 2012 quando o atual prefeito de Goiatins assumiu a gestão.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247