Prefeitura de SP vai à Justiça contra greve dos caminhoneiros

A Prefeitura de Sã Paulo fez uma lista de serviços em risco de interrupção iminente nesta sexta-feira (25), como atividades com viaturas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vans para transporte de pessoas com deficiência e caminhões usados na limpeza de ruas

A Prefeitura de Sã Paulo fez uma lista de serviços em risco de interrupção iminente nesta sexta-feira (25), como atividades com viaturas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vans para transporte de pessoas com deficiência e caminhões usados na limpeza de ruas
A Prefeitura de Sã Paulo fez uma lista de serviços em risco de interrupção iminente nesta sexta-feira (25), como atividades com viaturas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vans para transporte de pessoas com deficiência e caminhões usados na limpeza de ruas (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - A Prefeitura de Sã Paulo foi à Justiça contra a greve dos caminhoneiros, que ocorre em nível nacional contra os sucessivos aumentos nos preços do óleo diesel. As mobilização acontecem em 25 estados e no Distrito Federal. 

O executivo fez uma lista de serviços em risco de interrupção iminente nesta sexta-feira (25), como atividades com viaturas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vans para transporte de pessoas com deficiência e caminhões usados na limpeza de ruas. A gestão pede pena de multa de R$ 1 milhão entidades caso a decisão não seja comprida.

O combustível deve acabar já nesta quinta-feira 24 na capital paulista por causa da greve. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo, José Alberto Paiva Gouveia, informou que, desde o início desta quarta-feira (23), os postos de abastecimento do estado não receberam nenhum tipo de combustível (veja aqui).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247