Prefeituráveis partem para o ataque em debate quente

Troca de farpas, acusações e cobranças sobre origem de recursos; o debate desta tarde entre os candidatos a prefeito do Recife teve tudo isso e um clima de que o “bicho vai pegar” a partir deste momento na corrida sucessória 

Prefeituráveis partem para o ataque em debate quente
Prefeituráveis partem para o ataque em debate quente (Foto: Edição/247)

Raphael Coutinho _PE247 – A disputa eleitoral parece, enfim, ter tomado corpo. Os três últimos blocos do debate promovido pela TV Tribuna / Band nesta segunda-feira (20) foram marcados por questionamentos mais incisivos entre os candidatos à Prefeitura do Recife, com direito a troca de farpas e acusações. Os temas mais recorrentes foram saúde e educação. Humberto Costa (PT) e Geraldo Júlio (PSB) foram os protagonistas do embate, apesar de seus partidos permanecerem aliados nos planos estadual e federal. No entanto, o questionamento da origem dos recursos da campanha do socialista, feito por Esteves Jacinto (PRTB), acirrou ainda mais o embate.

“Gostaria que o senhor (Geraldo Júlio) dissesse a origem do dinheiro que patrocina a sua campanha. Uma campanha que está ‘linda’, como o senhor diz”, perguntou, ironicamente, Esteves Jacinto. O socialista, por sua vez, decidiu não comentar, explicando que sua prestação está no seu site de campanha. Entretanto, o candidato do PSB, em resposta, afirmou que Jacinto deveria explicar como fez para comprar o “carrão” que possui. Indignado, o postulante do PRTB disse que financiou o veículo em 62 prestações.

Ainda no terceiro bloco, Humberto Costa decidiu atacar, por tabela, Geraldo Júlio, em pergunta direcionada para Mendonça Filho (DEM), sobre o corte de repasse estadual de ICMS ao Recife, na época que o candidato do PSB era secretário estadual. O democrata, claro, aproveitou a “deixa” e não poupou críticas à gestão PT/PSB, creditando aos dois partidos os problemas que a cidade enfrenta.

A área da saúde também foi motivo para discussão entre Geraldo e Humberto. Os dois travaram um duelo a parte no terceiro bloco sobre o tema. Geraldo alegou que Humberto não investiu na saúde do Recife enquanto ministro. ‎"Vou cobrar ao governador Eduardo Campos (PSB) o dinheiro que você tirou do ICMS, Geraldo. Com isso vai dar para fazer muitas coisas no Recife", respondeu Humberto.

O quarto bloco foi mais morno. Esteves Jacinto se dirigiu a Mendonça Filho perguntando sobre o que o democrata achava da recente aliança entre o senador Jarbas Vasconcelos e o governador Eduardo Campos (PSB). Como já vem fazendo, Mendonça evitou falar sobre o assunto. “Eles é que devem falar sobre isso”, disse. Ao afinal do bloco, o candidato Daniel Coelho (PSDB) cobrou que Geraldo respondesse às perguntas, alegando que o candidato só “enrolava”. “Humberto, Mendonça e Esteves já fizeram perguntas e o senhor não responde. Só fala a mesma coisa. Parece que decora um texto e não sai disso”, disse.

As considerações finais ficaram para o quinto e último bloco. O candidato Roberto Numeriano (PCB) chegou atrasado e só participou deste período. Cada um dos candidatos ressaltou propostas do programa de governo e enalteceu as experiências em trabalhos anteriores. “Visitei vários bairros e garanto que vamos acabar com os problemas que a cidade sofre hoje, com alagamentos e barreiras”, finalizou Geraldo Júlio.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247