Presidente da Confederação Asiática se candidata à Fifa

Al-Khalifa enviou a documentação de candidatura à sede da Fifa em Zurique antes do fim do prazo, que termina nesta segunda-feira à meia-noite; Ele é o sexto candidato na disputa pelo comando da Fifa; A eleição está prevista para 26 de fevereiro

Al-Khalifa enviou a documentação de candidatura à sede da Fifa em Zurique antes do fim do prazo, que termina nesta segunda-feira à meia-noite; Ele é o sexto candidato na disputa pelo comando da Fifa; A eleição está prevista para 26 de fevereiro
Al-Khalifa enviou a documentação de candidatura à sede da Fifa em Zurique antes do fim do prazo, que termina nesta segunda-feira à meia-noite; Ele é o sexto candidato na disputa pelo comando da Fifa; A eleição está prevista para 26 de fevereiro (Foto: Luis Mauro Queiroz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Jornal do Brasil - O xeque Salman ben Ibrahim Al-Khalifa, presidente da Confederação Asiática de Futebol (AFC), apresentou sua candidatura à presidência da Fifa, anunciou a agência oficial do Bahrein BNA.

Al-Khalifa enviou a documentação de candidatura à sede da Fifa em Zurique antes do fim do prazo, que termina nesta segunda-feira à meia-noite.

Ele é o sexto candidato na disputa pelo comando da Fifa. A eleição está prevista para 26 de fevereiro.

Os outros candidatos são o presidente da Uefa, Michel Platini, que mantém a candidatura apesar de estar suspenso da Fifa, o sul-africano Tokyo Sexwale, ex-colega de cela de Nelson Mandela, o príncipe jordaniano Ali Hussein, o francês Jérôme Champagne, ex-secretário-geral da Fifa, e David Nakhid, de Trinidad e Tobago.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247