Presidente do PR em Goiás é condenado por tortura

Nova sentença condena Flávio Canedo, marido da deputada federal Magda Moffato (PTB) (na foto) a seis de anos de prisão. Canedo é acusado junto com mais dois homens de torturar um rapaz na cidade Caldas Novas, em outubro de 2002. Os réus teriam agido com violência para obter informações da vítima. Flávio Canedo, que tem direito de recorrer em liberdade, assumiu a presidência do PR no lugar de Juquinha das Neves, o ex-presidente da Valec, acusado de corrupção e que chegou a ser preso

Presidente do PR em Goiás é condenado por tortura
Presidente do PR em Goiás é condenado por tortura
Siga o Brasil 247 no Google News

Goiás 247_ Nova sentença proferida pela juíza Vaneska da Silva Baruki, da comarca de Caldas Novas, condenou o atual presidente do PR em Goiás, Flávio Canedo, e outros dois réus pelos crimes de tortura e ameaça contra um rapaz, fato ocorrido em 2002.

Canedo, que é marido da deputada federal Magda Mofatto (PTB), foi condenado a seis anos de reclusão, Cleiber Gomes Rodrigues, conhecido como Morcegão, também foi condenado a seis anos e Cleomar Pena, conhecido como Cigano, a sete anos de reclusão. Atualmente, Flávio Canedo diretor do Departamento de Água e Esgoto de Caldas Novas.

O marido de Magda assumiu o PR em Goiás no lugar de Juquinha das Neves, o ex-presidente da Valec acusado de corrupção e que chegou a ser preso pela Polícia Federal.

O crime

PUBLICIDADE

O crime ocorreu em 17 de outubro de 2002, no local conhecido como Jardim Japonês, em Caldas Novas. Conforme apurado, Flávio Canedo, Cleomar Pena e Cleiber Rodrigues agiram com violência e torturaram Frederico Daniel de Carvalho, a fim de obter informações sobre um furto que ocorreu no município.

Segundo relatado na denúncia, Cleomar convidou a vítima para um festejo que estava sendo realizado na cidade. No entanto, ao chegarem à festa, Frederico Daniel foi atingido nas costas por um golpe de madeira desferido por Cleiber Gomes.

De acordo com os autos, com o golpe, o rapaz caiu no chão e, como não assumiu a autoria do furto de uma espingarda, continuou a ser espancado. Também teve sua cabeça submersa em uma bacia com água, além da língua amarrada e puxada com um cordão fino. Como ele continuava a negar o furto, Flávio Canedo amarrou seus braços e pernas pelas costas, passando a corda também pelo seu pescoço.

PUBLICIDADE

Não resistindo ao sofrimento e às ameaças de morte, a vítima afirmou que a espingarda estava em uma loja. Também ofereceu aos agressores uma moto no valor de R$ 3,5 mil e mais R$ 5 mil para que pudesse sair vivo do local. Entretanto, os acusados afirmaram que queriam a espingarda e continuaram a espancar a vítima até que ela desmaiasse.

Recurso

Esta foi a segunda sentença condenatória no caso. Com a interposição de recurso pelos acusados, o Tribunal de Justiça acolheu as argumentações apresentadas pela defesa e anulou a primeira decisão de primeiro grau, determinando que outra sentença fosse proferida. Assim, ao analisar as alegações do Ministério Público, feitas pelo promotor de Justiça Publius Lentulus Alves da Rocha, a magistrada proferiu a nova sentença condenatória.

PUBLICIDADE

Tendo em vista a natureza grave das lesões físicas sofridas pela vítima, que ficou afastada de suas atividades habituais por mais de 30 dias, a juíza fixou o valor mínimo de R$ 5 mil, para cada réu, para reparação dos danos causados pela infração. Os réus poderão recorrer da decisão em liberdade.

(Com informações do Ministério Público)

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email