Presidente do TRF4 vê Lula julgado antes da eleição e fala em interesse da nação

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, afirmou na noite dessa sexta-feira 10 que a corte julgará o recurso contra condenação do ex-presidente Lula até agosto, isto é, em tempo hábil para que a candidatura de Lula à Presidência da República seja impedida; "Minha expectativa inicial é que até agosto do ano próximo o Tribunal já estaria em condições de julgar este processo", afirmou; magistrado, que já declarou que a sentença do juiz Sérgio Moro é "irrepreensível" e "entrará para a história", sinalizou que o tribunal fará de tudo para impedir um candidato que já se aproxima de 40% dos votos, excluindo o nome mais forte do campo popular da disputa; "É um interesse da própria nação e dos réus envolvidos"

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, afirmou na noite dessa sexta-feira 10 que a corte julgará o recurso contra condenação do ex-presidente Lula até agosto, isto é, em tempo hábil para que a candidatura de Lula à Presidência da República seja impedida; "Minha expectativa inicial é que até agosto do ano próximo o Tribunal já estaria em condições de julgar este processo", afirmou; magistrado, que já declarou que a sentença do juiz Sérgio Moro é "irrepreensível" e "entrará para a história", sinalizou que o tribunal fará de tudo para impedir um candidato que já se aproxima de 40% dos votos, excluindo o nome mais forte do campo popular da disputa; "É um interesse da própria nação e dos réus envolvidos"
O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, afirmou na noite dessa sexta-feira 10 que a corte julgará o recurso contra condenação do ex-presidente Lula até agosto, isto é, em tempo hábil para que a candidatura de Lula à Presidência da República seja impedida; "Minha expectativa inicial é que até agosto do ano próximo o Tribunal já estaria em condições de julgar este processo", afirmou; magistrado, que já declarou que a sentença do juiz Sérgio Moro é "irrepreensível" e "entrará para a história", sinalizou que o tribunal fará de tudo para impedir um candidato que já se aproxima de 40% dos votos, excluindo o nome mais forte do campo popular da disputa; "É um interesse da própria nação e dos réus envolvidos" (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, afirmou na noite dessa sexta-feira, 10, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ter o recurso contra sua condenação julgado até agosto, isto é, em tempo hábil para que a candidatura de Lula à Presidência da República seja impedida em caso de manutenção da condenação.

"Minha expectativa inicial é que até agosto do ano próximo o Tribunal já estaria em condições de julgar este processo. É um interesse da própria nação e dos réus envolvidos", avaliou Lenz. Apesar de rechaçar a pressão, o desembargador disse saber que "teremos as eleições mais importantes dos últimos anos, e o país estará muito vigilante".

A declaração foi dada durante evento realizado em Curitiba para que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin recebesse a comenda Barão do Serro Azul, prêmio concedido pela Associação Comercial do Paraná (ACP). 

O desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator do processo na 8ª turma do TRF4, também crê que "talvez seja possível julgar antes das eleições". Ele ressalta, porém, que não há uma previsão definida para o julgamento.

"O que posso dizer é que o Ministério Público entregou recentemente o parecer dele para mim e agora o processo vai seguir seu andamento normal. Eu vou analisar os autos, oferecer o relatório e encaminhar ao revisor", declarou.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247