Pressão: Paulo Garcia rompe contrato de R$ 18 milhões

Por recomendação do Ministério Público, o prefeito Paulo Garcia (PT) cancelou o contrato com a empresa paulista Luz Urbana para que ela prestasse serviço de manutenção da iluminação pública da Capital; acordo foi firmado sem licitação, no valor de R$ 18 milhões e com duração de seis meses e agora é alvo dos vereadores de oposição na Câmara Municipal; vereador Elias Vaz (PSB) obteve documentos que apontavam indícios de superfaturamento de preços no contrato e agora questiona a prefeitura

paulogarcia
paulogarcia (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Por recomendação do Ministério Público, o prefeito Paulo Garcia (PT) rompeu contrato com a empresa paulista Luz Urbana para que ela prestasse serviço de manutenção da iluminação pública da Capital. O acordo foi firmado sem licitação, no valor de R$ 18 milhões e com duração de seis meses e agora é alvo dos vereadores de oposição na Câmara Municipal.

A prefeitura acertou o contrato sob justificativa de que a Comurg não consegue prestar o serviço de forma eficiente. O problema é que o vereador Elias Vaz (PSB) obteve documentos que apontavam indícios de superfaturamento de preços no contrato e agora questiona a prefeitura. 

De acordo com o vereador, o contrato de R$ 18 milhões é referente à manutenção de 5 mil pontos de luz em Goiânia, o que daria uma média de R$ 3,6 mil por lâmpada. "Este valor é muito alto e alguma coisa está errada", alerta Elias Vaz.

Veja os tweets do promotor Fernando Krebs, responsável pela ação contra a prefeitura:

Fernando A. Krebs @promotorkrebs · 1 h Há 1 hora
O Prefeito @PauloGarciaPT acaba de nos informar, formalmente, que acatando a recomendação do MP rescindiu o contrato com a empresa de Ilum.

E que a SEMOB será a responsável pela iluminação pública na cidade.

A empresa será ressarcida pelos valores obtidos pela Prefeitura em recente licitação realizada para a aquisição de material de iluminação.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247