Prioridade é reestruturar a saúde, diz Almeida

Na sabatina realizada pela Rádio Gazeta, candidato a Prefeito de Maceió, Cícero Almeida (PMDB), afirmou quem se for eleito, seu trabalho prioritário será voltado para a saúde, com a reabertura de postos, a reestruturação do Complexo Regulador de Maceió (Cora), e o reforço do fornecimento de medicamentos; na entrevista ele relembrou os 8 anos que passou à frente da Prefeitura de Maceió, reforçando que construiu novos postos de saúde na capital e reforçou outros já existentes

Cícero Almeida - Deputado Federal Foto:Marco Antônio/Secom Maceió
Cícero Almeida - Deputado Federal Foto:Marco Antônio/Secom Maceió (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O candidato a Prefeito de Maceió, Cícero Almeida (PMDB), participou, na manhã desta quinta-feira (22), da sabatina realizada pela Rádio Gazeta, onde respondeu a perguntas sobre diversos temas de interesse público, como também apresentou propostas de campanha. Segundo Almeida, se for eleito, seu trabalho prioritário será voltado para a saúde, com a reabertura de postos, a reestruturação do Complexo Regulador de Maceió (Cora), e o reforço do fornecimento de medicamentos.

Cícero Almeida iniciou a entrevista relembrando os 8 anos que passou à frente da Prefeitura de Maceió, reforçando que construiu novos postos de saúde na capital e reforçou outros já existentes. O candidato falou que vem sendo constantemente abordado por pessoas nas ruas para a reabertura de postos em diversos bairros da capital.

"Abrimos diversos postos por toda Maceió, como também reestruturamos os já existentes na capital. Hoje ando pelas ruas e as pessoas me pedem para reabrir os postos que foram fechados pela atual gestão. O posto do Feitosa, do Santos Dumont, do Virgem dos Pobres, que foi reaberto recentemente em período político, e hoje o PAM Salgadinho funcionam em total precariedade. Meu dever, se eleito, é reabrir todos esses locais porque a população não pode ser punida por uma má gestão do município", disse.

Outro ponto debatido pelo candidato foi a terceirização dos serviços de saúde em Maceió. Segundo ele, assim que assumir, uma de suas ações será a contratação de uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) para gerir os postos de saúde da capital, mas de forma temporária, até a realização de concurso público.

"Sou contra a terceirização, mas se existe uma empresa isenta que oferece um bom serviço, uma boa gestão e que não tenha perfil de cabide de empregos, ela será contratada para que possamos botar pra funcionar os postos que estão fechados. Mas, será algo temporário, pois pretendo o quanto antes realizar um concurso público para suprir a carência na Saúde", concluiu.

Sobre a implantação do serviço do Uber em Maceió, Cícero ressaltou que, antes de começar com uma nova opção para os passageiros, é preciso avaliar se a cidade está preparada para esse tipo de mudança. 

"Eu fui taxista e o meu relacionamento com a categoria é o melhor possível, tanto com eles quando com os mototaxistas também. Para que a questão do transporte público seja resolvida, é preciso identificar as frotas de carros clandestinos para que possam ser regularizados. Em relação ao serviço Uber, é necessário conversa com todos os setores, entrar num acordo direto com os taxistas e nos perguntar se estamos preparados pra isso, é um tema a ser discutido", explicou.

A respeito da infraestrutura da cidade, o candidato disse que não se pode fazer um projeto de saneamento básico de uma forma irresponsável e que isso reflete diretamente na durabilidade da obra. "Fizemos o Santos Dumont do jeito certo, o bairro era uma ilha, alagado. Temos que avançar nisso porque é uma questão de saúde pública".

A partir da pergunta de um ouvinte, Almeida falou sobre a situação do Riacho do Silva, que, segundo o candidato, causa transtornos durante todo o inverno. 

"O Riacho do Silva é uma consequência da nossa lagoa Mundaú que está assoreada. Temos que recuperar essa área que é muito produtiva. Tínhamos um projeto pra ele que desviaria ele da Feirinha do Bebedouro para sair na entrada da Secretaria do Meio Ambiente. O projeto não está descartado e em parceria com o governo nós vamos realizar", prometeu.

Quando o assunto foi iluminação pública, Cícero criticou a atual gestão alegando que Maceió paga a taxa de iluminação mais cara do Nordeste e esse preço não tem justificativa, já que a cidade não dispõe das luzes de LED que a prefeitura anuncia.

Ao final da entrevista, quando mencionou o tempo de trabalho prestado e a relação com a família, Cícero Almeida emocionou-se e falou da importância de uma boa base familiar.

"A minha relação com os meus filhos é maravilhosa. São mais de 30 anos de serviços prestados à população e agora eu penso bem mais em curtir a minha família e cuidar da cidade em que moro", relembrou, emocionado.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247