Professor da USP diz que distúrbio na tireoide tem relação com homossexualidade

Registrado em foto por uma aluna, o slide usado pelo professor da Escola de Educação Física e Esporte durante uma aula tem provocado discussão nas redes sociais; o docente da USP está sendo acusado dar de declarações de cunho machista e homofóbico

Registrado em foto por uma aluna, o slide usado pelo professor da Escola de Educação Física e Esporte durante uma aula tem provocado discussão nas redes sociais; o docente da USP está sendo acusado dar de declarações de cunho machista e homofóbico
Registrado em foto por uma aluna, o slide usado pelo professor da Escola de Educação Física e Esporte durante uma aula tem provocado discussão nas redes sociais; o docente da USP está sendo acusado dar de declarações de cunho machista e homofóbico (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Um professor da USP causou grande polêmica durante uma aula ministrada na Escola de Educação Física e Esporte. Antonio Carlos Simões disse que distúrbios da tireoide podem causar “homossexualismo, masculinização das mulheres e desvirilização dos homens”. O slide com a afirmação foi projetado, na quarta-feira (25), pelo responsável pela disciplina “Dimensões psicológicas da educação física e do esporte”.

Registrado em foto por uma aluna, o slide tem circulado pelas redes sociais e gerado discussão entre os alunos, que acusam o professor de declarações de cunho machista e homofóbico. Simões, ex-técnico olímpico da seleção brasileira masculina de handebol, disse que se tratou de um mal-entendido entre os alunos e não quis dar explicações sobre a aula.

Em nota, a direção da Escola de Educação Física disse estar “empenhada em contribuir para a educação, direitos humanos, democracia e preservação dos direitos à diversidade”. O caso foi encaminhado para o Núcleo dos Direitos Humanos, que conversará com o professor na próxima segunda-feira (30).  

Alexandre Hohl, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, diz que não há qualquer evidência médica que justifique a relação entre tireoide e homossexualidade. “É um equívoco as pessoas irem para áreas que não são do seu domínio, seja na graduação ou na pós-graduação”.

O slide projetado em aula dizia o seguinte: “A Tireoide – Dos distúrbios da tireoide podem resultar, além de outros, distrofias genitais, homossexualismo, masculinização das mulheres, desvirilização nos homens, deficiências suprarrenais, tendências a fadiga e incapacidade de suportar estados de tensão (estresse)

Importante – avaliar o quanto o perfeito ou imperfeito funcionamento da tireoide influi na eficacidade de praticamente todos os tipos de atividades”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247