Professor de Sergipe cria programa pioneiro que prepara aluno para o Enem

Um projeto pioneiro, criado por um professor da Língua Portuguesa, da rede estadual de ensino de Sergipe, vem despertando o interesse dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro; há quase um ano, o professor Fabiano Oliveira, do Colégio Estadual Dom Luciano, colocou em prática um sonho de 10 anos: ter um espaço especial para ensinar literatura, redação, música, produção de textos, entrevistas, gravação de programas e interação com as redes sociais; A metodologia é criar conceitos partindo do princípio que os alunos podem trazê-los de casa. Não quero nada pronto, todo é discutido e analisado na lógica. O aluno tem que pensar, usar a criatividade e desenvolver o raciocínio", disse

Um projeto pioneiro, criado por um professor da Língua Portuguesa, da rede estadual de ensino de Sergipe, vem despertando o interesse dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro; há quase um ano, o professor Fabiano Oliveira, do Colégio Estadual Dom Luciano, colocou em prática um sonho de 10 anos: ter um espaço especial para ensinar literatura, redação, música, produção de textos, entrevistas, gravação de programas e interação com as redes sociais; A metodologia é criar conceitos partindo do princípio que os alunos podem trazê-los de casa. Não quero nada pronto, todo é discutido e analisado na lógica. O aluno tem que pensar, usar a criatividade e desenvolver o raciocínio", disse
Um projeto pioneiro, criado por um professor da Língua Portuguesa, da rede estadual de ensino de Sergipe, vem despertando o interesse dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro; há quase um ano, o professor Fabiano Oliveira, do Colégio Estadual Dom Luciano, colocou em prática um sonho de 10 anos: ter um espaço especial para ensinar literatura, redação, música, produção de textos, entrevistas, gravação de programas e interação com as redes sociais; A metodologia é criar conceitos partindo do princípio que os alunos podem trazê-los de casa. Não quero nada pronto, todo é discutido e analisado na lógica. O aluno tem que pensar, usar a criatividade e desenvolver o raciocínio", disse (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

ASN - Um projeto pioneiro, criado por um professor da Língua Portuguesa, da rede estadual de ensino de Sergipe, vem despertando o interesse dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Há quase um ano, o professor Fabiano Oliveira, do Colégio Estadual Dom Luciano, colocou em prática um sonho de 10 anos: ter um espaço especial para ensinar literatura, redação, música, produção de textos, entrevistas, gravação de programas e interação com as redes sociais. O único objetivo dele é preparar os alunos para que tenham sucesso no Enem.

O projeto CELL - Central de Estudos Linguísticos e Literários é sucesso absoluto entre os 120 alunos que assistem as aulas do professor Fabiano. Carismático, brincalhão e exigente, ele consegue a atenção dos alunos durante todo o período da aula. Quem entra na sala, a princípio acha estranho, pois o local em quase nada se parece com a tradicional sala de aula, com carteiras, birô e quadro-negro. No lugar refrigerado, apenas caixotes, sofá, almofadas, plantas, cortina, violões, aparelhos de som, tv, além de jornais e revistas espalhados pelo chão.

A sala especial é bastante colorida; pintada nas cores amarelo e vermelho, que segundo o professor Fabiano, representam a criatividade e o amor, respectivamente. "Projetei um ambiente de amor, fraternidade e de união. Em comum acordo com meus alunos, colocamos o amarelo para atiçar e florescer ainda mais a criatividade deles. O vermelho é o amor, que deve estar presente em todas as nossas ações do dia a dia", disse.

Tudo que tem na sala foi pensando cuidadosamente pelo professor e executado pelos próprios alunos, que tiveram à ajuda imprescindível dos pais. "A gente vendia bolos, salgadinhos, doces e promovia rifas para arrecadar dinheiro para equipar a nossa sala", relembra a aluna Ketlyn Menezes, escolhida pelo professor Fabiano para ser a "assessora de comunicação" do projeto CELL.

Início - Por alguns anos, Fabiano Oliveira lecionou em muitos colégios da rede particular de ensino. Mas como ele mesmo faz questão de afirmar, guardou em segredo o projeto CELL para ser executado na rede pública. "Isso estava dentro de mim; queria desenvolver esse projeto para ajudar os alunos da rede pública estadual. A partir do momento que fui aprovado em concurso público, procurei a direção do colégio Dom Luciano e detalhei todo o projeto. Graças à Deus todos aceitaram, e hoje, ele é uma realidade em Sergipe"," comemora.

Ambientes

 A CELL fica localizada no segundo piso do Colégio Dom Luciano. O local é aconchegante e possuiu seis ambientes diferentes. "Temos espaços para Literatura, Códigos e Linguagens, Gramática, Produção de Textos e Artes. A metodologia é criar conceitos partindo do princípio que os alunos podem trazê-los de casa. Não quero nada pronto, todo é discutido e analisado na lógica. O aluno tem que pensar, usar a criatividade e desenvolver o raciocínio", disse ao ressaltar que a metodologia do CELL está dentro da filosofia de grandes pensadores pedagógicos, como por exemplo, Paulo Freire.

"Estamos mudando um pouco a forma de ensinar, mas preparando os alunos para que eles tenham sucesso ao enfrentar o ENEM. Aqui na sala para cada disciplina nós temos um ambiente diferente. O objetivo é relaxar os estudantes para tenham prazer em aprender; em participar da aula", disse Fabiano Oliveira.

Ele deixa claro que na metodologia usada por ele não tem um líder na sala de aula. "Todos são tratados de forma igualitária. No ensino tradicional o professor reina absoluto, mas aqui, todos os alunos são preparados para a liderança. Na hora de estudar formamos um círculo, justamente para ter a participação ativa de todos os alunos bem pertinho do professor", disse.

A aluna Vivian Menezes Santos, do 3º ano do ensino médio afirma que é sempre um prazer assistir as aulas do professor Fabiano. "Acima de tudo ele é um amigo; um inovador; um professor que está sempre disposto a nos ajudar dentro ou fora da sala de aula. As dicas que recebemos aqui, com certeza, serão fundamentais para o ENEM", disse a aluna.

Turmas

Fabiano Oliveira leciona Língua Portuguesa em seis turmas, totalizando 120 alunos. Para atrair o interesse dos alunos, quase sempre ele leva para a sala de aula uma letra de uma música. "Eles interpretam o texto gramaticalmente e por fim, cantamos ao som de violão, que é tocado por algum aluno", revelou. Por falar em aluno, Jadson Mota, chegou a compor uma letra de música que aborda as funções da linguagem. "Temos inclusive um CD. Fico feliz quando existe a participação maciça dos alunos no projeto CELL. Estamos dando um passo importante para essa geração jovem", apostou.

Sonhos

 O professor Fabiano e seus alunos têm outros sonhos. O principal deles é realizar um curta-metragem contando a história dos catadores de latinha. "Esse sonho vem sendo trabalhando cuidadosamente por todo nós. Espero que em breve, possamos colocar essa realidade para a sociedade sergipana", disse.

O outro é ampliar a comunicação do CELL nas redes sociais, colocando no Facebook, por exemplo, toda a produção dos alunos. "Queremos interagir, trocar ideias e sugestões. Temos o Gazeta News, um espaço para que os alunos apresentem as produções textuais, as músicas ou pequenos programa jornalísticos", disse.

 O projeto CELL destinou um local especial para receber personalidades e convidados. Trata-se do "Venha para o Meu Sofá". "Queremos trazer educadores, jornalistas, juristas, artistas, enfim, personalidades que podem contribuir para a formação intelectual dos nossos alunos. Inclusive, já formalizei o convite para o secretário Jorge Carvalho", disse. Na semana passada, o professor Fabiano foi recebido em audiência pelo secretário de Estado da Educação.

"Expliquei detalhadamente o projeto CELL para o secretário. Aproveitei também, para fazer algumas reivindicações para a nossa sala. Tenho certeza que em breve teremos novidades para os alunos", informou. A aluna Maryele Souza garante que a metodologia aplicada pelo professor Fabiano é fácil entendimento. "É tudo baseado na lógica. Ele desenvolveu essa metodogia para facilitar o entendimento do aluno. A aula dele é diferente. A gente participa do início ao fim. Fico ansiosa esperando o outro dia para ter uma nova oportunidade de aprender mais", disse a aluna.

Um dado interessante é registrado durante as aulas ministradas pelo professor Fabiano: não existe nenhuma ocorrência de aluno usando o aparelho celular na sala de aula. "Fico feliz por estar vencendo essa importante ferramenta da comunicação que prejudica os alunosem sala de aula", disse. O aluno Antônio Gabriel Gomes, acompanhou de perto toda a luta do professor Fabiano para desenvolver o CELL. "Ele é um batalhador; um vencedor. Nós alunos, somos gratos por tudo que ele vem fazendo", disse emocionado.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247