Projeto garante vigilante 24 horas nos bancos de Porto Alegre

O projeto, de autoria do vereador Engenheiro Comasseto, com o apoio do Sindivigilantes do Sul, já foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal. Se aprovado no plenário, instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas em Porto Alegre ficariam obrigadas a contratar vigilância armada para atuar 24 horas por dia, inclusive em finais de semana e feriados.  

O projeto, de autoria do vereador Engenheiro Comasseto, com o apoio do Sindivigilantes do Sul, já foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal. Se aprovado no plenário, instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas em Porto Alegre ficariam obrigadas a contratar vigilância armada para atuar 24 horas por dia, inclusive em finais de semana e feriados.
 
O projeto, de autoria do vereador Engenheiro Comasseto, com o apoio do Sindivigilantes do Sul, já foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal. Se aprovado no plenário, instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas em Porto Alegre ficariam obrigadas a contratar vigilância armada para atuar 24 horas por dia, inclusive em finais de semana e feriados.   (Foto: Fatima 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247- A Câmara de Vereadores de Porto Alegre já aprovou, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o projeto de lei (PL 96/2016), que obrigaria instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas na capital a contratarem vigilância armada para atuar 24 horas por dia, inclusive em finais de semana e feriados.

A proposta é do vereador Engenheiro Comassetto (PT) e apoiada pelo Sindivigilantes do Sul, que representa os vigilantes bancários. Para Comassetto, o projeto é necessário diante do aumento dos ataques a caixas eletrônicos na Capital. “Cabe destacar que os roubos a caixas eletrônicos vêm substituindo os assaltos a bancos, o que ocorre na maioria das vezes à noite quando não há efetivo. Portanto, faz-se necessário este projeto como forma de prevenção”, diz o vereador.

O presidente do Sindivigilantes, Loreni Dias, afirmou que "a categoria vai pressionar os vereadores e vereadoras para que votem e aprovem logo esse projeto, de grande interesses para vigilantes e à população, porque significa mais emprego e segurança para todo mundo”.

O projeto prevê que os vigilantes deverão permanecer no interior das agências em local em que possam se proteger durante a jornada de trabalho, e dispor de botão de pânico e terminal telefônico, para acionar rapidamente a polícia, e de dispositivo que acione sirene de alto volume no lado externo do estabelecimento, para chamar a atenção de transeuntes e afastar delinquentes de forma preventiva a cada acionamento

As agências também deverão ter escudo de proteção ou cabine para guardas ou vigilantes e câmeras de circuito interno para gravação de imagens em todos os acessos destinados ao público, em suas entradas e saídas e lugares estratégicos, nos quais se possa ver o seu funcionamento e a movimentação de pessoas em seu interior. Na parte externa frontal dos estabelecimentos deverá haver, no mínimo, duas câmeras para gravação de imagens.

Com informações do Sindivigilantes

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247