Protesto contra Copa em SP reúne 1,5 mil pessoas

O último protesto contra os gastos da Copa em São Paulo, no dia 22 de fevereiro, foi dispersado com auxílio de uma tropa de policiais composta por agentes com treinamento em artes marciais; ao final da ação, 262 pessoas acabaram detidas, entre elas, diversos jornalistas; por isso, o grupo Advogados Ativistas entrou com um pedido de liminar para que a PM fosse proibida de usar a chamada tropa de braço no ato de hoje; a Justiça, no entanto, negou o pedido

O último protesto contra os gastos da Copa em São Paulo, no dia 22 de fevereiro, foi dispersado com auxílio de uma tropa de policiais composta por agentes com treinamento em artes marciais; ao final da ação, 262 pessoas acabaram detidas, entre elas, diversos jornalistas; por isso, o grupo Advogados Ativistas entrou com um pedido de liminar para que a PM fosse proibida de usar a chamada tropa de braço no ato de hoje; a Justiça, no entanto, negou o pedido
O último protesto contra os gastos da Copa em São Paulo, no dia 22 de fevereiro, foi dispersado com auxílio de uma tropa de policiais composta por agentes com treinamento em artes marciais; ao final da ação, 262 pessoas acabaram detidas, entre elas, diversos jornalistas; por isso, o grupo Advogados Ativistas entrou com um pedido de liminar para que a PM fosse proibida de usar a chamada tropa de braço no ato de hoje; a Justiça, no entanto, negou o pedido (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil

Cerca de 1,5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), participam, nesta noite, de um protesto contra os gastos para realização da Copa do Mundo este ano no Brasil. De acordo com a PM, os manifestantes saíram do Largo da Batata, zona oeste paulistana, e estão subindo a Avenida Rebouças em direção à Avenida Paulista. Até o momento, a manifestação ocorre sem registro de conflitos.

O último protesto contra os gastos da Copa em São Paulo, no dia 22 de fevereiro, foi dispersado com auxílio de uma tropa de policiais composta por agentes com treinamento em artes marciais. Ao final da ação, 262 pessoas acabaram detidas, entre elas, diversos jornalistas. Por isso, o grupo Advogados Ativistas entrou com um pedido de liminar para que a PM fosse proibida de usar a chamada tropa de braço no ato de hoje. A Justiça, no entanto, negou o pedido.

A página que convocou o protesto no Facebook critica o uso de recursos públicos para a organização do Mundial de Futebol. "A previsão é que os investimentos para o Mundial alcancem R$ 33 bilhões -- o país vai custear 85,5% das obras relacionadas ao evento, com dinheiro dos governos federal, estaduais e municipais", diz o texto postado na rede social. Além disso, acrescenta o texto, "é mais que comprovado" que copas não agregam valores para os países-sede.

Na opinião dos organizadores da manifestação, as obras para realização do evento atropelam os direitos da população. "Hoje, no Brasil, vivemos uma situação caótica no SUS [Sistema Único de Saúde], [há] pessoas despejadas para construção de estádios, faltam investimento na educação e em infraestrutura", acrescenta o texto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email