PSB continua rachado em Minas Gerais

Mesmo após a reunião entre o presidente do PSB em Minas, deputado Júlio Delgado, e o pré-candidato do partido ao governo do estado, Apolo Heringer Lisboa, uma parte da sigla defende candidatura própria, e a outra apoio ao pré-candidato do PSDB, Pimenta da Veiga; "Temos um longo processo a cumprir. Vamos criar as coordenadorias regionais do PSB em todo o estado, discutindo, levando em consideração o nome de Apolo", afirmou Delgado 

Mesmo após a reunião entre o presidente do PSB em Minas, deputado Júlio Delgado, e o pré-candidato do partido ao governo do estado, Apolo Heringer Lisboa, uma parte da sigla defende candidatura própria, e a outra apoio ao pré-candidato do PSDB, Pimenta da Veiga; "Temos um longo processo a cumprir. Vamos criar as coordenadorias regionais do PSB em todo o estado, discutindo, levando em consideração o nome de Apolo", afirmou Delgado 
Mesmo após a reunião entre o presidente do PSB em Minas, deputado Júlio Delgado, e o pré-candidato do partido ao governo do estado, Apolo Heringer Lisboa, uma parte da sigla defende candidatura própria, e a outra apoio ao pré-candidato do PSDB, Pimenta da Veiga; "Temos um longo processo a cumprir. Vamos criar as coordenadorias regionais do PSB em todo o estado, discutindo, levando em consideração o nome de Apolo", afirmou Delgado  (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 – Mesmo após a reunião entre o presidente estadual do PSB em Minas, deputado federal Júlio Delgado, e o pré-candidato do partido ao governo do estado, Apolo Heringer Lisboa, a legenda continua dividida quanto ao rumo que tomarão às vésperas do início da campanha eleitoral, em julho. Enquanto uma parte da sigla defende candidatura própria, a outra quer os socialistas apoiando o pré-candidato do PSDB, o ex-ministro das Comunicações Pimenta da Veiga.

"Temos um longo processo a cumprir. Vamos criar as coordenadorias regionais do PSB em todo o estado, discutindo, levando em consideração o nome de Apolo", afirmou Delgado em entrevista ao jornal Estado de Minas.

Em meio às especulações de que os presidenciáveis Eduardo Campos (PSB-PE), ex-governador de Pernambuco, e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) teriam se comprometido em apoiar candidatos um do outro em seus respectivos estados, Heringer disse, que na última terça-feira (8), recebeu uma confirmação da cúpula nacional da Rede de que o acordo não existe;

Dois dias depois, o socialista reafirmou que o acordo é inexistente. "Minas tem o dobro dos votos de Pernambuco. Então, um acordo trocando um estado pelo outro é matematicamente falho e, politicamente falando, pior ainda", complementou.

Para Heringer, é preciso agilidade na pré-campanha. "Não podemos demorar tanto. Estamos em um processo político dinâmico. Felizmente, os outros candidatos, quanto mais aparecem, pior para eles", declarou.

O pré-candidato do PSB ao Executivo mineiro teve aval da sua correligionária e ex-ministra de Meio Ambiente Marina Silva, cotada para ser vice de Campos – ela também foi a mais votada em Belo Horizonte na disputa presidencial de 2010, quando integrava os quadros do PV.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247