"PSC está confiante de que Feliciano tomará melhor decisão", diz André Moura

Embora tenha dito que não pediu que o pastor renunciasse, o líder do PSC na Câmara, André Moura, afirmou que o partido está preocupado, porque as manifestações, tanto contrárias quanto de apoio ao deputado Feliciano, estão impedindo os trabalhos da comissão, mas na hora de decidir, tergiversa: "ele está eleito como presidente e só cabe a ele essa decisão"

"PSC está confiante de que Feliciano tomará melhor decisão", diz André Moura
"PSC está confiante de que Feliciano tomará melhor decisão", diz André Moura
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 - O líder do PSC na Câmara, deputado federal André Moura, pediu ao também deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) que reavalie a sua permanência à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM). Desde que foi eleito presidente do colegiado, Feliciano vem sendo contestado por grupos ligados a movimentos sociais e mesmo por deputados contrários às suas posições, que criaram, nesta quarta-feira (20), uma Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos.

Embora tenha dito que não pediu que o pastor renunciasse, André Moura afirmou que o partido está preocupado, porque as manifestações, tanto contrárias quanto de apoio ao deputado Feliciano, estão impedindo os trabalhos da comissão. “Ele está eleito como presidente e só cabe a ele essa decisão. Mas ele se comprometeu a refletir sobre o assunto, e a bancada está confiante de que ele tomará a melhor decisão”, afirmou André.

Na terça-feira (19), a bancada do PSC pediu explicações a Feliciano sobre a divulgação de um vídeo em sua página no Twitter com ataques a defensores dos direitos dos homossexuais e a deputados. Após a reunião da bancada, André Moura disse que o partido não concorda com esse tipo de atitude e que o deputado Feliciano foi orientado a trabalhar e produzir na comissão.

Segundo o líder do PSC, Feliciano disse aos integrantes da bancada que não tinha nenhuma relação com o vídeo e que tomou conhecimento sobre ele por meio da assessoria. Entendemos que essa resposta foi suficiente, disse o líder. Não concordamos com esse tipo de vídeo e o compromisso que ele assumiu com a bancada foi fazer um trabalho produtivo na comissão”, ressaltou.

Com o título "Marco Feliciano Renuncia", o vídeo de pouco mais de oito minutos, retuitado na segunda-feira pela conta do pastor no Twitter, mostra cenas de simpatizantes da causa homossexual em atos violentos e exibe frases de deputados contrários à eleição do pastor para a presidência da Comissão de Direitos Humanos. O vídeo diz, ainda, que Feliciano decidiu renunciar de sua privacidade, para não renunciar à Comissão de Direitos Humanos, para que as famílias sejam preservadas.

Nesta quarta-feira (20), os membros da recém-criada Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos afirmaram que vão entrar com uma representação contra Feliciano pelo vídeo. As imagens mostram declarações de deputados militantes da causa LGBT, como Jean Wyllys (Psol-RJ). O vídeo acusa Wyllys de ter preconceito contra cristãos. Deputados organizaram de forma obscura a manipulação de protestos para coagi-lo a desistir. Líderes que fazem discursos políticos inflamados no preconceito contra cristãos, diz o texto lido por uma voz distorcida.

Com informações da Agência Câmara e FaxAju

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email