PSDB volta a criticar viagem de Dilma a Minas

Presidente do diretório tucano no estado, deputado Marcus Pestana diz em nota que mesmo com "enormes desafios" a serem tratados no País, a presidente coloca como uma "agenda própria da Presidência e prioritária para o país" a entrega de máquinas a municípios mineiros; parlamentar acusa Dilma Rousseff de abandonar o posto e usar a máquina pública para fazer viagens eleitorais

Presidente do diretório tucano no estado, deputado Marcus Pestana diz em nota que mesmo com "enormes desafios" a serem tratados no País, a presidente coloca como uma "agenda própria da Presidência e prioritária para o país" a entrega de máquinas a municípios mineiros; parlamentar acusa Dilma Rousseff de abandonar o posto e usar a máquina pública para fazer viagens eleitorais
Presidente do diretório tucano no estado, deputado Marcus Pestana diz em nota que mesmo com "enormes desafios" a serem tratados no País, a presidente coloca como uma "agenda própria da Presidência e prioritária para o país" a entrega de máquinas a municípios mineiros; parlamentar acusa Dilma Rousseff de abandonar o posto e usar a máquina pública para fazer viagens eleitorais (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - A presidente Dilma Rousseff fez nesta quarta-feira 26 mais uma viagem a Minas Gerais. E o PSDB, horas depois, fez mais uma crítica à ida de Dilma ao estado. O presidente do diretório tucano no estado, deputado Marcus Pestana, divulgou nota afirmando que, com tantos problemas a serem superados no País, Dilma colocou como prioridade uma "turnê" de entrega de máquinas a prefeitos. Dilma esteve na cidade de Betim, onde entregou máquinas a 209 municípios.

"Afinal, aos olhos da presidente parece tratar-se realmente de uma escolha difícil. O que seria mais importante para o país, a presidente permanecer trabalhando em Brasília, buscando soluções para os riscos na área de energia, para a crise na segurança e para os impasses na saúde, ou seguir em turnê entregando chaves de caminhões para prefeituras que, muitas vezes, não têm recursos para pagar o combustível e o salário do motorista?", questionou Pestana.

Confira a íntegra da nota, que acusa Dilma de usar a máquina pública para fazer viagens eleitorais:

Apertem os cintos, a presidente sumiu!

O Brasil vive momento difícil.

No campo econômico, baixo crescimento, inflação alta e risco de rebaixamento por parte das agências internacionais. No social, a violência endêmica; a saúde precária e insuficiente; a mobilidade urbana sem a solução prometida e cobrada insistentemente pelos protestos de rua.

São enormes os desafios que precisam ser enfrentados pela presidente da República. Mas ela parece não pensar assim. Ao que tudo indica, ela acredita que entregar pessoalmente caminhões no interior do país é agenda própria da Presidência da República e prioritária para o país.

Afinal, aos olhos da presidente parece tratar-se realmente de uma escolha difícil. O que seria mais importante para o país, a presidente permanecer trabalhando em Brasília, buscando soluções para os riscos na área de energia, para a crise na segurança e para os impasses na saúde, ou seguir em turnê entregando chaves de caminhões para prefeituras que, muitas vezes, não têm recursos para pagar o combustível e o salário do motorista?

Na prática, a presidente eleita para governar abandonou o posto, para que a candidata Dilma Rousseff, usando a máquina pública, possa cumprir o seu calendário de viagens eleitorais.

Na última semana, ela passou apenas um dia em Brasília.

Infelizmente, no que diz respeito aos mineiros, apesar das frequentes visitas ao Estado que estão sendo feitas em função das eleições, o atual governo vai terminar sem que nenhuma das promessas feitas pelo PT aos mineiros, nos últimos 12 anos, tenha sido cumprida.

Ao final do governo Dilma, o metrô de Belo Horizonte não terá se expandido nenhum metro sequer; a BR-381 não terá sido duplicada; a revisão dos royalties do minério não terá entrado em vigor. O governo do PT teve tempo e dinheiro e não ajudou Minas porque não quis.

Essa é a realidade que nenhuma propaganda é capaz de esconder.

A presidente voltou a Minas para entregar mais caminhões. Seus correligionários dizem que virá toda semana. Haja caminhão!

Aos mineiros cabe apenas achar graça e perguntar: De novo, presidente?

Deputado federal Marcus Pestana
Presidente do PSDB-MG

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email